20 anos de moda e conquistas

E já começou a semana de moda mais importante da América Latina – a 40ª edição do SPFW que vai até sexta (23-10) comemora seus 20 anos de volta a Bienal no Parque do Ibirapuera, com o tema “Do Princípio ao Início”. “Estamos falando de processos. Do princípio ao início pressupõe um ciclo. Cada edição é sempre uma nova etapa que se inicia”, explica Paulo Borges. “Ao longo destes 20 anos sempre trabalhamos com a ideia de compromisso, planejamento e longo prazo. Sempre apontando para o futuro, que é o papel inovador da moda. Nada se constrói sem essas premissas e é nesta perspectiva de tempo e perseverança que as coisas acontecem”.


Quem visitar o espaço pode conferir a linda exposição em formato de passarela que apresenta roupas, fotos, vídeos e maquetes de cenários de diversos estilistas que já passaram pelo SPFW. Outro destaque é a mostra “Fazendo Cabeça” do designer e stylist Davi Ramos, com chapéus, casquetes e fascinators, que criaram imagens fortes de moda ao longos dos 20 anos.


Fashionista que é fashionista gosta do que? Em tempos de mídias sociais bombando, é claro, que é uma selfie. Uma imagem em um cenário completamente diferente faz muito sucesso e foi exatamente isso que alguns patrocinadores do evento montaram. O sorvete Magnum além de promover fotos com plaquinhas oferece o novo sabor com coberturas variadas, no espaço da Riachuelo é possivel carregar o celular ou tirar uma foto em um cenário que imita uma pista de skate, na Euro Relógios o visitante vira modelo em uma passarela com fotógrafos e dentro do cubo todo espelhado do SPFW uma linda imagem repleta de formas e novas percepções.


No domingo, Alexandre Herchcovitch abriu a temporada de Inverno 2016 com desfile na prefeitura de São Paulo. Ontem passaram pela Bienal, a Animale, UMA, Ronaldo Fraga e Lilly Sarti


UMA: Raquel Davidowicz consegue fazer do básico uma peça moderna e cheia de estilo e, é exatamente isso que seus clientes gostam e seguem fielmente. Os tons que ela mais gosta sempre estão presentes: preto e cinza, além do marrom, vinho e metalizados no prata e dourado. Entre os tecidos, couro, tafetá, nylon, moletom e jeans metalizado e colors. Conforto e formas amplas são essenciais na moda da marca que não abre mão de sobreposições e recortes assimétricos. Destaque para o jeans masculino com pasta metalizada ou com desgastes e resina no marrom em fits mais ajustados. A sarja Baldwin da Vicunha enriqueceu looks masculinos com calças coloridas, que receberam tingimento de efeito marmorizado.


Ronaldo Fraga: poesia pura, trilha sonora incrível e um tema universal: o amor. “O amor dá pano pra mangas, pra vestido, pra ternos e para um guarda-roupa inteiro”, diz Ronaldo. Este foi o desfile do estilista que sempre arranca aplausos da plateia de pé. Desta vez ao invés dos modelos saírem de cena depois do término da apresentação, eles ficaram deitados em camas dispostas pela passarela. Os convidados passavam em meio aquele cenário, é claro, tirando fotos. Isso é Ronaldo Fraga, isso é arte, é moda, sensibilidade e criatividade. Falando de sua moda, para o Inverno 2016 ele trabalha com sedas produzidas no Vale da Seda do Brasil, no Paraná, com jacquards da Renaux View, bordados desenvolvidos pela Haco, bases naturais estampadas pela Metalnox, além de rendas, passamanarias e, muitas estampas de corações, o desenho do orgão mesmo com suas artérias e o modelos fofos que a gente mais conhece no mundo da moda. Surgem ainda enormes rosas, folhagens, pássaros, partituras de letras de músicas, tudo na medida certa e de acordo com cada modelo. Várias entradas em tons que vão do vermelho sangue, branco ao roxo, rosa e metalizados permeiam toda a coleção em vestidos, batas, macacões e saias longas que muitas vezes surgem com referências unissex. Ronaldo sabe muito bem fazer a roupa de algodão com carinha de brechó, a peça moderna, o look pra noite, para o dia a dia, os bordados manuais, os furos com recortes a laser, tiras e franjas, golas amplas e laços, tudo sempre com qualidade, com bom humor e muita criatividade.


Lilly Sarti Garotas bem nascidas, sofisticadas e moderninhas com um toque sexy. Esse é o perfil da consumidora Lilly Sarti que ama vestidos fluídos, retos, com fendas, ombros de fora, pantalonas, blazers e calças croppeds. Tonalidades em azuis, preto, branco, bege e cinza mesclam-se em peças práticas e super femininas com destaque para os casacos de pelos. O jeans também segue esse estilo mais chique, com referências da alfaiataria mesclando peças limpas à estampas geométricas em maxicamisas, casacos, saias lápis e flares no chambray super leve.