A estreia da John John no catwalk internacional

De chapeuzinho malandro, look urbano e muito denim. Foi com esse estilo e o pé direito na moda utilitária, que a marca brasileira John John estreou nas passarelas de Nova Iorque. Peças extremamente trabalhadas em camadas, construções e efeitos coloridos e brilhantes, mostraram que a marca atende a um paladar urbano e comunicativo, com peças ricas em nuances e detalhes funcionais.

O denim apresentado pela marca para o Inverno 2019 internacional, iniciou sua apresentação explorando tons de azul pelo aspecto dry e bleached, até chegar no tie-dye. Sob o comando do Designer Joao Foltran, a grife mostrou uma versão bastante autoral dos combos essenciais masculinos, unificados não apenas pelo estilo e lavagem mas também pela aplicação de estampas quadriculadas em tons gráficos de azuis, violeta, azul e verde. Um recurso que marcou também o estilo de amplos sobretudos femininos.

A estética do macacão borracheiro, dispensando abotoamentos em prol da agilidade do zíper metálico aparente, foi outro ponto alto do desfile. E para elevar ainda mais a versão moderna do clássico, a John John investiu em misturas de materiais como o vinil preto, em diversos bolsos quadriculados. Também no efeito ombré sujinho, sublinhando a origem worker da referência, nas localizações dos ombros e bainhas. E num terceiro momento, diferenciou o item através de misturas com couro colorido no tom fiesta, preenchendo recortes e áreas geométricas típicas do mood utilitário da sua construção.

Camadas também foram uma referência no desfile da grife, que mesclou diversos acabamentos e cores em um mesmo look. E nas alquimias de fits, pesos e tingimentos do material, brincou com amarrações, transições de tonalidades, capuzes, tops e inversões de comprimentos entre sobreposições.

Mas o DNA nacional da marca ganhou posicionamento definitivo mesmo, pelo modo experimental com que explorou os efeitos tie dye e metalizado ao longo da apresentação. Nos looks manchados; verde neon, violeta e amarelo ensolarado injetaram disposição nas peças. E nas interpretações com brilho, vermelho fiesta e blue princess foram os pantones que unificaram o estilo; tanto de conjuntos femininos de tops e skinnies, quanto nas peças únicas masculinas, bem como nas formações de casacos e calças.

Fonte: Vivian David | Fotos:Mark Von Holden/WWD