Denim com lógica de alta costura no desfile da Koché

Denim em um visual bruto e cavernoso, evidenciando que é perfeitamente possível

conceber uma coleção não-­elitista, distinta e contemporânea; através da união do

detalhamento da alta costura com o streetwear. A estréia da marca

Koché nas passarelas de Paris, manteve o senso de exclusividade e o

trabalho manual em patamar elevado, tal qual a exigência do line-­up parisiense: muitos

bordados e aplicações e roupas trabalhadas. O enfoque, no entanto, foi dado pelo jeitão

esportivo, do que resultou uma leitura final apta a usar tênis. Dentro deste contexto, o

jeans entrou em três diferentes lógicas: como base para interferências

artesanais, como tópico de transformação de look conceito em proposta usável e como

uma espécie de material-­aviamento habilitado a mudar a vocação de superfícies mais

refinadas.



A superfície do denim variou dos tons delavé aos índigos médios, ora

apresentados lisos nas peças básicas, ora trabalhados em texturas e desenhos

metalizados formados por aplicações. No quesito modelagens, predominaram os fits

soltos, com ênfase na boyfriend, a qual realizou singulares combinações com vestidos-
camisola em tons de rosa fluo. Também constaram as pantacourts,

separadas ou diferenciando a leitura de macacões. O jeans dialogou com brilhos e

transparências, porém em leitura bruta e relacionada à cultura das ruas como o

basquete. Combos e looks total denim predominaram, porém, sem dúvida, a influência

desta coleção para as tendências do segmento é dada pela sugestão dos parkas, como

uma peça-­chave versátil que ganha uma versão de excelente apelo

comercial no visual índigo.



Em termos de inspiração, nesta coleção sublinhamos os padrões das estampas variando

tonalidades índigo, bem como a ideia das coleções esportivas colocadas em mood

cavernoso associada o denim aos brilhos ­ o que remete aos temas

noturnos de Londres. Destacamos também, o mix de casacos, extremamente versátil e

oportuno para verões indecisos e miscigenados, sobretudos e parkas

embelezados por trabalhos manuais, um bom apelo para o público feminino maduro. Os

volumes soltos estão consagrados também para este mesmo lifestyle, colocados como

uma forma mais sofisticada de usar jeans, distanciando a peça de sua leitura trivial.