Denim entre souvenirs cubanos é a aposta de Valentino

Uma viagem metafórica a Cuba, desenhando em bordados, estampas e cores as

diferentes memórias que ilustram a cultura do país. África, Espanha e a América dos

anos 50 foram as referências que permearam a coleção Resort 2016

apresentada pela grife Valentino, em Nova Iorque. As diferentes influências, conferiram

liberdade para mesclar, tal qual souvenirs de viagem, peças e padrões distintos

simultaneamente no look.



Tricôs listrados dialogando com florais tropicais; folhagens e abacaxis pontuados pela

estampa de onça, foram algumas das misturas propostas na coleção; que sublinhou

bastante o formato evasé longo de saias e vestidos como um shape direcional para a

moda.



Vermelho carmim, bege nude, marrom africano, peles. boleros de renda, muitas franjas e

moletons são apresentados lado a lado com longos vestidos de cerimônia. O

denim intromete­-se entre as composições, com a naturalidade de uma

referência cosmopolita atemporal, variando entre quatro aparências distintas: o visual

militar, o branquinho essencial, o índigo icônico, e o étnico artesanal.



No quesito militarismo, o material se desdobra em parcas e camisas estilo explorador. Já

no visual white denim, Valentino aposta no acréscimo do discurso bem­ resolvido da

cartela branca, para agregar altivez às peças essenciais como o macacão e o key look

formado pelo combo shortinho desfiado e jaqueta básica.



Nas aparições em visual índigo, as peças elaboradas em denim

evoluem do aspecto puramente lavado para as interpretações decorativas. Enquanto a

boyfriend é proposta em leitura original; a pantalona é adornadas por borboletas em

paetês translúcidos, barras desmanchadas e franjinha frayed ao final do entrepernas. No

entanto a referência mais criativa conferida no material, é a que reproduz uma espécie

de tie dye multicolorido em estilo tribal africano: uma excelente inspiração para quem vai

trabalhar o lado charmoso do conceito étnico nas peças comerciais.