Jeans manchado pelo suor da classe trabalhadora na Rag&Bone

Um hino à diversidade e à indumentária dos valorosos trabalhadores braçais, representado por bolsos utilitários, splashes de tinta, calças cargo, jaquetas estilo lenhador e mecânico. De acordo com a declaração dos atuais criadores da Rag & Bone, Marcus Wainwright e David Neville, a coleção inverno 2014 (equivalente à 2015) agrupou um mix diversificado, porém 100% verdadeiro, ao eleger o suor da classe trabalhadora como inspiração principal.


O denim, um dos materiais principais, desta vez representou as manchas de tinta em lavagem branca: tudo para dar maior ênfase à linguagem. O visual, desdobrou-se em saias lápis coordenadas à leggings, calças baggy pontuadas pelo apelo invernal dos sobretudos longos e escuros, e do peso do couro na versão dos casacos volumosos com bolsos em proporções “gigantes”. As sobreposições foram um elemento marcante na produção do desfile, colocando para o inverno a idéia de que o mix em camadas deverá dialogar com calças ou meias leggings coloridas na mesma cor do bottom.


Além do preto e branco constando como cores principais, a Rag&Bone reafirmou o vermelho vibrante como cor de destaque para a temporada, o couro como uma exigência, e as saias tubulares e em comprimentos mais longos como um formato desejado no guarda-roupa atual. Para o jeans, a marca anunciou as modelagens com pegada “boyish” como a baggy, como proposta para diversificar o mix de fits invernais, e acima de tudo, afirmou o visual manchado como aparência desejo para o inverno 2014/15.