Junya Watanabe propõe uma nova leitura para o look vintage

Duas direções para o menswear já foram muito bem posicionadas por Londres, Milão e agora Paris: o streetwear e a alfaiataria. Nestes centros de moda os estilos vieram muito impregnados pelo visual oversied – até mesmo nos cortes formais, bastante enfatizados em comprimentos excedentes, e em styling retorcido, com falas no estilo “não sei vestir roupa de gente grande”.

Com a chegada da Junya Watanabe houve a confirmação de um jeans icônico, com uma memória vintage. O modo como ele é colocado para o Inverno 2020 da grife sugere outro ponto de vista para a alfaiataria. No mix masculino de Watanabe, o estilo é colocado em leitura antiquada, mesclado ao utilitarismo.

Para elaborá-lo, certa silhueta retangular foi formada: símbolo de força e confiabilidade. E as coordenações orbitaram em torno da alfaiataria antiguinha, e dos padrões ultrapassados. Barbas brancas, boinas de gerações passadas, coletes retrô, transmitiram discurso cool lembrando em alguns momentos, uma atitude grunge formal. Ternos cinza em tweed ou riscas de giz, foram colocados em formas ajustadas. Quase sempre, recortados por mangas com visual de estilos opostos; como de parkas, ou jaquetas denim essenciais. Casacos utilitários com desenho de avesso, tons terrosos e puffers, deixaram claro que o denim para o closet masculino de acordo com Watanabe, vai constar mais no sortimento de calças, do que no outerwear em si. Ao invés disso, pontua a estética de modelos onde a construção se baseia no mix de tecidos e na contradição de estilos.

Para harmonizar essa mistura, o jeans apresentado assumiu um formato mais reto, e comprimentos cropped com barras turn-up cada vez mais largas. As lavagens, variaram do look dry ao stonewashed, com ampliação do mix dada pela oferta de fits nos tons black, caramelo, e algumas versões de denim xadrez. Nada de rasgos: os detalhes que constaram foram os patches, recortes, próximos à barra, e vincos marcando comprimentos. Na cartela de efeitos, Watanabe explorou apenas áreas de desbotamento em alguns modelos mais claros, sugerindo o envelhecimento natural do jeans. E em uma etapa final do desfile, evoluiu as mesmas produções para o look bermuda black, sapatos e meias sociais até os joelhos.

A maturidade nunca foi tão fashion quanto nos dias atuais. Esta é praticamente uma macrotendência, que Watanabe validou nas passarelas de Paris para o menswear através do seu desfile. Ela vai falar de status, sucesso e qualidade de vida, ao que tudo indica, por muitas estações.

Fonte: Vivian David | Fotos: Giovanni Giannoni