Marques` Almeida apresenta denim em revolta contra o look festa

Transparências retorcidas, babados noturnos, olheiras coloridas e paleta black

emborrachada. Desta vez, o denim não foi o material mais numeroso

do desfile de Marques` Almeida na temporada de Verão

2016 em Londres, mas sim, ele manteve espaço importante e como inspiração

principal apresentou uma espécie de revolta ao que muitos Londrinos estão definindo

como estilo “Downing Street”: expressão que se refere ao visual que gira em torno de um

lindo vestido de festa preto. Ao invés disso, o look festa alcançou versões inconformadas

e agressivas, daí a originalidade principal das peças apresentadas no desfile.



Além das transparências soturnas, a coleção incluiu a camurça e “respingou” paletas

intensas de vermelho e pink em produções glamourosas. A calça

jeans, no formato five pockets, curvou-­se à cartela colorida nestes dois

tons e adotou toques emborrachados e resinados, no caimento pantalona com barras

arrastadas.



Quanto ao blue denim, desta vez foi bem menos numeroso do que nas

coleções anteriores. Em compensação, de uma maneira bastante avessa, girou muito

mais em torno da feminilidade. O acabamento frayed (franja desfiada) formou a base

para babados pesados e inacabados, com jeitão de jabô, tanto em tops quanto em saias

com caimento sereia. A exposição da pele foi explorada pela barriga à mostra, em peças

como a jaqueta colocada com o top e no desenho da blusa cavada em um ombro só,

recorrente em outras coleções da temporada. O índigo predominou em

sua cartela mais intensa e no visual pantalona continuou arrastando barras e

comprimentos; desta vez junto à um sobretudo com mangas mais longas do que o

convencional.



Barrinha frayed, por vezes em profusão à esporádica presença de plumas, caracterizou

todo o acabamento da coleção, que alcançou uma alquimia de

comprimentos perfeita através da cropped com um toque de silhueta

flare. As camadas de babados índigo repetiram-­se em pesados vestidos de alças, desta

vez variando em nuances médias: definitivamente uma forma glamourosa de afrontar o

look festa, aproveitando seu próprio visual.



No quesito direcionamentos, Marques Almeida não traz em suas leituras propostas

comerciais de entendimento direto. Mas sim, sinais sutis e inspirações-­chave as quais

devem sofrer adaptações para então influenciar: começando pelo visual renovador das

barras arrastadas, até chegar na ideia do jeans interpretado em leituras festa, lembrando

ou incluindo tecidos mais nobres em sua confecção. Além disso, sublinhamos a

interpretação conferida à cropped, através de um bonito desenho

inspirado na silhueta flare, o qual foi repetido diversas vezes em combos com regatas

estilo frente única, uma boa sacada para atender a demanda pelo fit setentista,

removendo o dilema entre comprimento real e ideal.