“Crise de valores” na indústria da moda é tema de palestra e campanha

Não é novidade que a indústria da moda vem transferindo toda sua verba para campanhas de marketing e terceirizando a produção de seus produtos por preços cada vez mais baixos e irrisórios em países em desenvolvimento.


Esse tema, que é debatido entre profissionais e jornalistas especializados do setor desde 1980, chegou a um estado de emergência com cada vez mais casos de mão de obra escrava, secas de rios que tiveram toda sua água destinada para irrigação de plantação de algodão para indústria têxtil, nascentes poluídas e aterros sanitários abarrotados de peças baratas do fast-fashion descartadas.


Enquanto isso, a verba que poderia ser destinada à produção cuidadosa de produtos de moda está sendo revertida para campanhas milionárias de marketing. Sob essa ótica, Olivia Merquior, Coordenadora de Moda do Première Vision São Paulo*, abordou a crise de valores na indústria da moda durante palestra que aconteceu no Minas Trend.


A profissional resume bem todos os prejuízos dessa crise, que, para o consumidor normalmente vem disfarçada através de preços baixos e aparentemente vantajosos, e, para as grandes marcas, em lucros exorbitantes e ações na bolsa valendo cada vez mais: “A indústria têxtil é a segunda mais poluente do mundo, ficando atrás somente da de petróleo. Qualquer mudança nesta área causa um impacto tremendo. É preciso saber a origem dos tecidos das suas roupas, confiar nas indústrias que as produzem, evitando assim o incentivo ao trabalho escravo ou a produções poluentes”, disse ela.


Na indústria, “a falta de conhecimento gera perda de tempo, dinheiro e oportunidades. Ocorre hoje um investimento em marketing muito alto, importante porque a moda também é imagem, mas em detrimento do produto. O profissional de destaque conhece o produto, o tecido”, diz ela.


Para incentivar os consumidores a entenderem melhor a importância do consumo consciente, vários sites, livros, campanhas e iniciativas vêm surgindo. Entre elas, o Fashion Revolution Day, que acontece todo ano no dia 24 de abril, para marcar a morte de mais de mil trabalhadores da indústria têxtil em Bangladesh em uma tragédia ocorrida no país em 24 de abril de 2013.


Esse ano, o Fashion Revolution Day acontece na sexta-feira agora e convida todas as pessoas a postarem nas redes sociais uma foto com uma roupa do avesso, mostrando a etiqueta, e questionando as marcas com a hashtag #quemfezminhasroupas. A ideia é fomentar a curiosidade dos consumidores sobre o processo de produção dos produtos e colocar as marcas nos holofotes, pressionando-as para serem mais responsáveis com os consumidores, com os trabalhadores, com os animais e com o planeta. Saiba mais do Fashion Revolution no site ou na página do facebook oficial brasileira.


*O evento Première Vision São Paulo acontece dias 12 e 13 de maio no Pavilhão Amarelo do Expo Center Norte, das 10h às 19h, com entrada gratuita aos profissionais de moda.

MARINA COLERATO | FOTOS: DIVULGAÇÃO