Berlim pinta-se de verde

Desde o último dia 3, a capital da Alemanha abriu as portas para a moda ecológica e sustentável. O arranque para os primeiros negócios foi dado com as visitas à Kraftwerk, destino para se conhecer as propostas variadas dos expositores da Ethical Fashion Show e do Greenshowroom, que atendem ao público da moda mais high end até o streetstyle. O evento termina hoje, dia 5.

Cerca de 140 marcas estão presentes na capital alemã, dentre as quais oito são portuguesas: Artelusa, Green Boots, Marita Moreno, Rutz, Ultrashoes, Elementum by Daniela Pais, NAE Vagan Shoes e Näz, estas três últimas contam com o apoio do projeto 100% ModaPortugal, promovido pelo CENIT.

A Elementum by Daniela Pais é uma veterana na Ethical Fashion Show, da qual participa desde a primeira edição. “Se estivermos em uma feira convencional, precisamos explicar e justificar os nossos pressupostos de sustentabilidade, mas na Etichal Fashion Show não, as pessoas sabem. Os visitantes já vem preparados”, destacou ao Portugal Têxtil na última edição.

As expectativas para a edição atual, não são menores por parte da organização, que fica por conta da Messe Frankfurt. “Com o nosso segundo evento na Kraftwerk, vamos realmente um pouco mais longe. Temos algumas marcas fantásticas participando da programação, que submetemos a uma seleção ainda mais rigorosa no que diz respeito às coleções, e entre as quais há algumas novas descobertas muito entusiasmantes. O nosso evento é mais extensivo e exclusivo do que nunca. Em resumo, estamos dando o próximo passo em direção ao futuro”, ressalta Olaf Schmidt, vice presidente de têxteis e tecnologias da empresa.

Entre os novatos nas feiras, a organização destaca, entre outras, a presença da alemã Mymarinini, especialista em fatos de banho e gama alta que juntam estilo, sustentabilidade e funcionalidade; a marca austríaca Margaret and Hermione, cujas peças de banho e sportwear são produzidos com redes de pesca usadas; a Good Krama, uma marca do Camboja que combina o artesanato local com inovação para fazer moda casual, e a britânica Re.Sustain, que oferece vestuário contemporâneo a preços democráticos.

Além de apresentar as tendências, que para a primavera-verão 2019 focam em materiais naturais e paletas de cores harmoniosas que lembram paisagens mediterrânicas, a Ethical Fashion Show e o Greenshowroom contemplam um programa de eventos paralelos pensados para “informar, inspirar e entreter”.

Essa será a última edição em que a Ethical Fashion Show e o Greenshowroom se apresentam com diferentes identidades, sendo que em janeiro, as feiras estarão unidas sob a designação Neonyt.

Fonte: Portugal Têxtil | Fotos: Reprodução