Capricórnio Têxtil dá primeiro passo para novo posicionamento estratégico

Na semana de lançamentos de coleções das principais tecelagens têxteis para o segmento jeanswear, a Capricórnio Têxtil que promoveu um evento entre os dias 14 e 15 de maio, no Museu da Casa Brasileira, apresentou pela primeira vez aos clientes seu novo posicionamento de marketing, com o logo reformulado e a parceria com a lavanderia Pizarro.

“Esse é o primeiro passo para a construção de uma nova identidade. Nós somos uma marca empática, agregadora e criativa, queremos fazer mais com menos, queremos fazer diferente. Esse é o nosso grande trabalho consolidar a marca, estamos falando muito mais do que lançamento de produtos”, afirma João Bordignon, diretor de marketing da empresa têxtil.

A Capricórnio Têxtil, terceira maior em volume no mercado, quer estar mais presente na comunidade do denim, conectando os elos do setor, investindo na força da comunicação e na co-criação entre as empresas. Ainda segundo João, a nova identidade visual respeita o passado, porém, é mais moderna, alegre e humana. Além disso, a companhia busca atingir novos clientes, unindo custo-benefício e produtos de qualidade com preços justos e competitivos.

Uma das mudanças desta nova etapa, refere-se a deixar de lado estações pré-determinadas. Além disso, foram criadas famílias que agregam os diferentes tecidos do portfólio da têxtil, como a Flat Confort Denim, Original Denim, Light Denim, entre outras.

Ao todo, são 22 lançamentos com bases e acabamentos diferenciados e uma campanha que valoriza a moda e pessoas da vida real. “Acreditamos no sucesso do denim do dia a dia”, comenta João.

Dentro da linha Light Denim, surgem dois produtos em 100% algodão, para camisaria, o Teca com 5,5oz, 1,58m de largura e o Helô com fio penteado, peso de 4,5oz e 1,48m de largura. Já na família Confort Denim, com produtos que ganham alto power e a tecnologia Dual Core do elastano, surgem o Jango, com 9,5oz e largura de 1,53m, Oscar, peso de 9,5oz Millôr, 9oz e Tarsila, com 8,50z.

Na linha Poli Confort Denim, onde entram produtos com poliéster, algodão e elastano, a grande novidade é o denim moletom, nunca antes trabalhado na empresa. O Slack é um artigo maquinetado com peso de 9oz e largura de 1,47m, no intense blue.

Na linha Flat Confort Denim, o azul vivo e iluminado surge nos artigos Febe Royal Blue e peso de 8,5oz e Nimes Royal Blue com 8oz, ambos na construção cetim e 1,53m de largura.

Capricórnio e Pizarro

Como já havíamos antecipado em primeira mão, a Capricórnio realizou uma parceria com a Lavanderia Pizarro, de Portugal, para a realização de uma consultoria especializada para cada cliente. E, para falar sobre o assunto, Manuel Pizarro, fundador e CEO da empresa portuguesa, veio especialmente ao evento apresentar essa novidade.

“Desenvolvemos as amostras com diferentes possibilidades em lavanderia. O primeiro passo foi conhecer os tecidos e depois a equipe de Portugal trabalhou em cima deles”, comentou Manuel.

A equipe portuguesa irá oferecer todo o suporte necessário para o desenvolvimento da coleção, com isso, será possível escolher mais facilmente os artigos e aplicar os beneficiamentos. “Vamos proporcionar aos clientes um espaço, em nossa fábrica de São Carlos, para o desenvolvimento de coleções com a expertise da Pizarro”, afirmou João Bordignon.

O projeto se inicia no segundo semestre com foco nos compradores que trabalham com PL para magazines.”Cada lavanderia tem sua estrutura própria. Não adianta passar uma “receita” porque é diferente. Nossa equipe vai conhecer a lavanderia, as máquinas e ver o que é possível realizar”, disse Manuel.

O executivo ainda comentou que o mercado está muito concorrido e se a empresa não souber o que quer e para onde quer ir, não irá obter sucesso. Em relação à sustentabilidade, tema em pauta em toda a cadeia de moda, Manuel Pizarro afirmou que o futuro é olhar para dentro de nossa casa, enxergar o que tem e o que pode melhorar, com foco na eliminação e redução de água nos processos.

Pesquisa de Moda

O evento contou também com um talk sobre pesquisa de moda com a consultora Giuliana Castelo Branco, que apresentou um outro olhar sobre o assunto, além de um enriquecedor bate papo com diversas convidadas do mercado de moda, incluindo a CEO do Guia Jeanswear, Iolanda Wutzl.

Giuliana apontou que não fazia mais sentido realizar as pesquisas tradicionais, com fotos de vitrines, compra de amostras e reprodução das peças. Para a consultora, é necessário saber quem é o seu cliente, sua identidade, personalidade, propósito, segmento, deixando de lado a tendência durável e sequencial. É preciso valorizar o comportamento, a cultura e a verdade no contexto mundial. Por isso, ela apresentou três macrotendências comportamentais.

Empodere-se: onde entra o ativismo multidirecional incluindo todas as faixas etárias e públicos que exigem cada vez mais a transparência em nosso setor.

Nostalgia: na busca pelo aconchego, tranquilidade, volta às suas raízes. Em meio ao boom da informação os consumidores querem se desconectar desse mundo virtual. As marcas estão investindo em releituras de coleções antigas, além de referências vindas dos anos 90.

Unicidade: aqui exclusividade é palavra-chave, onde o cliente procura coleções exclusivas e limitadas que valorizem sua individualidade. Marcas menores que vendem principalmente através do Instagram, começam a fazer sucesso e a ganhar espaço em meio as fast-fashions que também já descobriram esse nicho de mercado e realizam collabs com empresas menores.

E, falando especificamente de moda, todas essas referências trazem para o Inverno 2020 inspirações nos anos 70 em shapes com cintura mais alta e marcada, modelagem flare, toques do militarismo, peças mais largas vindas da década de 90, coleções minimalistas, lavagens ácidas e jaquetas truckers.

Fonte: Vanessa de Castro | Fotos: Equipe Guia JeansWear