Casa Denim 2019 mostra prioridades à indústria jeanswear

A Casa Denim New York movimentou o estado de Goiás no último 01/02, diretamente da Lavanderia John Cler. Em sua 3ª edição o evento contou com palestras, apresentações, desfiles e um coquetel pra lá de animado, com a presença dos DJ’s Mark James e Codô e do artista multiplicador da cultura Hip-Hop Wagner Wagz, que realizou um belíssimo grafite inspirado nas ruas da Big Apple, e uma série de jaquetas que são verdadeiras obras de arte.

A mediação de apresentações foi realizada pela diretora de criação e idealizadora do evento, Julia Stolfo que há mais de 12 anos integra a equipe desenvolvedora da lavanderia. Além de peças exclusivas de estilistas e um concurso entre alunos universitários.

A principal intenção de João Filho, CEO da Companhia foi mostrar o que a John Cler pode fazer pelas empresas ali presentes, através de um trabalho sustentável, que permite a reutilização de 100% da água, valorizando processos que otimizam o tempo e a equipe de produção.

Ao investir na relação humana integrada ele afirma “[…] há dois eventos a coisa do momento era a informação. Networking. Buscar a troca de informações. Todo mundo já escutou que ninguém é insubstituível, mas aqui na John Cler acreditamos que algumas pessoas sejam insubstituíveis. O mais importante é a equipe”, pontuou.

João apresentou todas as equipes dentro da companhia: produção, consultores de moda, marketing e desenvolvimento, administrativo, transporte e sua família, também ativa nos negócios. Juntos eles mostram que realmente vestem a camisa da John Cler, o que faz que demonstrem um carinho especial pela 3ª edição da Casa Denim. O CEO também afirma que enquanto puder entregar bons produtos com sua política de participação de lucros, assim será feito.

Como em Goiás as lavanderias não são obrigadas a tratar a água utilizada para tingimento de tecidos, o trabalho da Lavanderia John Cler pode ser considerado como pioneiro. Pensar diferente das demais e agir de maneira eco-friendly, evita a propagação da cultura do desperdício.

O jeanswear precisa se preocupar com a questão da água e agir gradativamente para uma transformação para que o consumidor pare de olhar para o denim como um inimigo ambiental. Antes de cobrar por um posicionamento é necessário apresentar o exemplo a ser seguido.

Confira abaixo vídeo do evento:

Fonte: Beatriz Fleira | Fotos: Renner Mariano