China aponta aumento em exportações

As autoridades chinesas anunciaram que as exportações do Paí­s continuaram crescendo durante o mês de junho. Esta elevação, que acontece justamente em um perí­odo em que a economia europeia continua na crise em que mergulhou e a americana ainda apresenta muitos sinais preocupantes, é um claro sinal que a polí­tica de preços, cambial e social chinesa são vantagens competitivas quase intransponí­veis pelos seus concorrentes.

As exportações chinesas, as quais incluem artigos eletrí´nicos, calçado, têxteis e vestuário; atingiram cerca de 140 bilhões de dólares durante o último mês. Um valor que se traduz numa taxa de crescimento anual homóloga muito próxima dos 44%. Apesar da taxa de aumento verificado em junho ser inferior í  de maio, quando as exportações cresceram 48,5%, a dimensão da mesma em um perí­odo em que muitas economias lutam contra baixas taxas de crescimento e elevados números de desemprego parece indicar que grande parte do crescimento mundial se encontra a ser absorvido pelo gigante asiático.

Os resultados apresentados não deixaram também de surpreender os analistas. Estes valores, acima do esperado, demonstram que as fraquezas da economia mundial ainda não se manifestaram na economia chinesa e no seu setor exportador, afirma Ken Peng, economista do Citigroup com sede em Pequim. A onda de crescimento está se acalmando, mas muito mais lentamente do que se poderia antecipar, o que levará a que as autoridades chinesas não intervenham para já na economia, acrescentou.

A força das exportações asiáticas tem sido mantida pela competitividade dos têxteis e do vestuário produzidos naquele e foi também acelerada pelo fim dos incentivos fiscais í  exportação, que irão acabar em breve para algumas matérias-primas. Este último fato poderá ter levado a que alguns exportadores tenham antecipado os seus envios ao exterior, para desta forma aproveitar o estí­mulo fiscal concedido.

Os números apresentados são os primeiros desde que as autoridades chinesas deixaram de intervir tão pronunciadamente no valor da sua moeda. Para a maioria dos analistas, esta medida cambial foi ainda muito recente para que os dados das exportações já tenham absorvido um movimento mais liberal do yuan.

PORTUGAL TíŠXTIL | FOTOS: REPRODUí‡íƒO