Denim de camisola podrinha na Elle Suécia

Tão confortável, corriqueira e descompromissada que poderia ser comparada à uma t-shirt podrinha. E ainda: tão estilosa, sedutora e versátil, que poderia perfeitamente sair

porta­ a fora legitimada pela autoridade do look denim. Parece incompatível, mas é esta a

associação conceitual atribuída à camisola, no editorial de Abril da Elle

Suécia. Com o make estilo “recém­-acordei” e “não me penteei”, as

composições destacam o contraponto da transparência e do efeito sugestivo das

camisolas, associadas ao denim batido em visual delavé; lembrando no estilo peças

recuperadas pelo upcycling.



Os looks giram em torno do denim, das rendas e transparências ­ com

respiros de produções total índigo em diversas nuances. Nas composições onde a idéia

de underwear está presente, a publicação confere visibilidade à peças com jeitão de

jeans de estimação recuperado. Como exemplo, temos a bermuda longa com

entrepernas cilíndrico, trabalhado pelo efeito ripped; e a jaqueta com volume oitentista

poluída por vivos contrastantes. Na mesma aparência, coexistem elementos como o

efeito batido do moletom cinza e a leveza dos tules. A proposta branquinho total,

tendência entre as coleções denim e destaque em lookbooks, na publicação vem

recortada por rendas pretas.



Além da mistura oposta entre o visual dia e noite, o mix agrupado pelo

editorial destaca looks total denim composto por lavagens

contrastantes: macacão índigo associado à camisa denim alvejada, e o combo pantalona

e jaquete em tom azul médio pontuado pelo colete delavé.



O jeitão upcycling é conferido ao mix desde meros detalhes, até

grandes construções; iniciando pelo lenço estilo rocker constando no bolso do macacão,

passando pelo acabamento frayed das bermudas em comprimentos ultrapassados, até

chegar na chamativa construção que alonga a calça reta com o tema da bandeira

americana.

VIVIAN DAVID | FOTOS: REPRODUÇÃO