Denim em versão oitentista e sedutora é o tópico da temporada

Mulheres mais sedutoras, anos 80, balada, pressa, romance e promiscuidade. Estas foram algumas características e inspirações que fundamentaram as coleções mais direcionais para o segmento denim, nas apresentações da temporada ready-to-wear correspondente ao Inverno 2017 nacional. No tópico anos 80, podemos citar a coleção de Ashish Gupta, que associou a década à elementar referência de uma caixa de giz de cera colorido e ao jeitão de balada de sábado; e também Isa Arfen, que resgatou o lado romântico dos excessos bufantes e babados associados ao jeans.


Passando para os anos 90, tivemos Victoria Beckham relembrando as Spicy Girls e o poder de suas silhuetas curvilíneas vinculadas à fisionomia do corset. Já A. F. Vandervost, falou sobre pressa em um discurso funcional que oscilou com traquejo do luxuo ao apelo quotidiano. House of Holland, por sua vez, apresentou a garota rebelde em seu lado promíscuo flertando entre as décadas de 20 e 70. E por fim, tivemos a grande influência de Marques Almeida, que como sempre é um observatório não pelo tema, mas pela capacidade da grife em jogar na passarela propostas com tino fashion consagrado e antecipado para o denim.



O denim em azul profundo não tratado foi recorrente, assim como linguagens como o frayed. Na variedade de fits, destacou-se a maturidade da pantalona. A reta retorna como um fit importante, ao perder seu apelo antiquado pelo gancho mais longo e comprimento cropped: reformulação que resulta em leitura romântica, especialmente quando pontuada por sapatos femininos de salto e meia-calça fumê. Já nas peças-chave, destaque para a saia em diversos comprimentos e desenhos: a temporada apresenta a reta alongada até meia-panturrilha com apelo chic, a minissaia com babados e a longa oscilando entre a ampla e sedutora até o formato sereia irregular.



E este é um dos grandes toques de moda para o denim: a ideia de variar em assimetrias e irregularidades a barra de modelagens simples. Temos também variações de combos que oscilam das leituras sedutoras e luxuosas até os conjuntos esportivos e informais. Nas propostas mais rebuscadas, os conjuntos são formados por partes superiores estruturadas e inferiores longas, femininas e com jeitão chic. Já no apelo esportivo, jaquetas e calças ganham acabamento que remete à tecidos tecnológicos (brilhoso, molhado, lembrando neoprene), e o outerwear varia do estilo biker ao desenho da jaqueta básica.



A ideia de volume é bastante explorada não apenas no denim e nas calças mais amplas, mas também em seus complementos, como a pele colorida; ou nas formas, incluindo assim o experimentalismo nos babados. Macacões continuam em voga, e desta vez podem ser renovados tanto pela fusão com a ideia da pantacourt, quanto pela proposta de sublinhar a proposta sexy mais forte na temporada. Se pudéssemos resumir as influências de Londres para o jeans e seus diálogos em três palavras, elas seriam: volume, sensualidade e informalidade. Confira nosso garimpo direcional sintetizando as influências londrinas.


VIVIAN DAVID | FOTOS: REPRODUÇÃO