Denim Meeting 2018 fecha ciclo com grandes painéis no Polo Confeccionista de Caruaru

O Agreste de Pernambuco ficou azul na última sexta-feira dia 14 de setembro, com o Denim Meeting, realizado no Armazém da Criatividade – Unidade avançada do Porto Digital em Caruaru. A 2ª edição do Denim Meeting na cidade, após passar por São Paulo (SP), Maringá (PR), Goiânia (GO) e Blumenau (SC), encerrou o ciclo de eventos de 2018 exatamente no Agreste pernambucano. O Denim Meeting é hoje o principal encontro dos protagonistas da cadeia têxtil com o objetivo de unir o segmento e compartilhar informações do mercado jeanswear no país.

Apresentando oportunidades para confeccionistas, atacadistas e tecelagens buscarem conhecimento e coletar tendências, a programação incluía uma visita à Ilha do Denim, espaço destinado ao network, divulgação e exposição de produtos denim.

Na abertura oficial das palestras, o tema não poderia ser mais oportuno para a região: Tendências Jeanswear – Lavanderia e os detalhes que farão a diferença nas coleções das próximas temporadas, com o palestrante Maurício Lobo.

Com tanta informação, o Talk Show – “União dos elos entre tecelagens, atacadistas e marcas da região”, foi um dos momentos de destaque. Com a mediação do ativista da moda Leopoldo Nóbrega, estavam presentes Edla Nayale (RC Tecidos), Julia Lucena (Petrópolis Tecidos), Diego Kaio (Brytch Jeans), Rejane Iracema (XLZ JEANS) e Andreza Forte Neves (Brenny’s), além dos representantes das tecelagens Canatiba, Covolan, Santana Textiles, Santanense e Vicunha. A ideia de promover o encontro de acordo com Marlene Fernandes, idealizadora do Denim Meeting, foi reunir toda a cadeia produtiva em um só lugar e discutir melhorias para atender o mercado jeanswear da região. O principal objetivo foi levar para o maior polo produtivo de jeans do país, uma comitiva de especialistas reconhecidos no setor, que atendam às necessidades da região com apresentações de ferramentas e novas tecnologias, para o aumento da produtividade com qualidade para o jeanswear brasileiro.

Segundo Antonio Manzarra, diretor comercial da Santana Textiles, a preocupação do Denim Meeting deve ser a mesma das tecelagens do denim. “Porque sabemos que nem todos têm oportunidade de se deslocar para o eixo Rio/São Paulo. Não adianta dizer que aqui é um grande Polo e não promover eventos locais, para nos aproximarmos dos confeccionistas e atacadistas”, ressaltou. Ele explica que a Santana trabalha diretamente com o mercado local de maneira exclusiva. E que os 4,5 milhões de denim que Pernambuco consome, 45% é da Santana. Ele conta que o sucesso se dá pela disposição que a empresa tem de estar inovando com produtos que atendam o agreste. Para a região, ele adianta o pré-lançamento da coleção durante o mês de novembro na cidade de Toritama.

Rico em informação, o Denim Meeting trouxe também a gerente de marketing da Lycra®, Silvana Eva para abordar tecnologia, treinamento em equipe e story feeling para guiar na jornada de compra. Com o tema: Do desconto à venda de valor – Silvana Eva destacou a importância de entender o consumidor de jeans e gerar valor sustentável para o negócio. Ela diz que a informação é o segredo e mostrou que o consumidor final também está disposto a pagar a mais o produto que oferece informação. Na sua pesquisa, 88% pagaram em média 6% a mais ao receberem a informação sobre o produto.

Outro que se diz impressionado com a região do Agreste é Anselmo Frederico Bonato, gerente comercial da Canatiba, “Existe um planejamento de ações comerciais e de marketing da Canatiba para o polo confeccionista do agreste, a falta de informação mais precisas do mercado local gera um certo distanciamento das empresas fornecedoras, hoje a Canatiba trabalha com 597 produtos à disposição, apesar de estarmos há 24 anos no mercado, sentimos falta de uma comunicação mais eficiente”.

Diante da disposição de todas as tecelagens em propiciar uma maior aproximação com o Agreste, Julia Lucena da Petrópolis Têxtil, diz que o Denim Meeting é o grande responsável por isso e que todas as mudanças que agreguem de forma positiva o crescimento do mercado, sempre serão bem-vindas.

O Denim Meeting deu início com o tema de lavanderia e finalizou com os parceiros e representantes de lavanderias e marcas da indústria química, discutindo o tema: Do tecido ao design de lavanderia – A importância das marcas jeanswear acompanharem o avanço tecnológico para obterem produtos diferenciados com coleções assertivas. Mediado por Iolanda Wutzl do Guia JeansWear, o debate contou com a participação de Paulo Jório (Hitech) – Élio Leão (Capricórnio) – Marcos Abrantes (Coratex) – Célio Tavares (Lavanderia Céu Azul) e Mario (Lavanderia Handie).

A Lavanderia Céu Azul, administrada por Célio Tavares, é um case de sucesso da região que há 27 anos atua na cidade de Toritama, Mario, o design da lavanderia, destacou que priorizam a tecnologia e qualidade nos produtos sem desperdício de água. A grande e principal dificuldade da região agreste é a falta de água. Mário defende que não existe jeans sem a lavanderia, porém, o serviço ainda é desvalorizado. Marcos Abrantes da Coratex, ressalta que a região faz milagre, e para colaborar com a região a Coratex desenvolve uma linha específica para atender as lavanderias. Paulo Jório da Hi- Tech, explica que o consumo tradicional para uma peça é de 135 litros e conta com 28 operações. “O mercado não suporta mais isso, nem pelo preço, nem pela logística empregada, as indústrias estão trabalhando com produtos sustentáveis de alta performance com água fria e temperatura ambiente, antes se gastavam 07 horas em um processo, com tecnologia totalmente obsoleta. Hoje, em toda peça idealizada no laser, se consegue tudo aquilo que a peça propõe permitindo uma leitura de até 255 tons nos blacks, de forma comparativa, se antes o tempo necessário para lixar uma peça era de 25 minutos, hoje no laser a redução é para 30 segundos. As lavanderias não sabem quanto custa uma peça considerando que não é só produto químico, mas toda a operação. Está na hora de entender o processo, pois em cerca de 3 anos vamos ter em todo o Brasil em média 200 a 300 lavanderias para lavar todo o jeans do Brasil. Há 10 anos eram mais de mil lavanderias na região, hoje são apenas 400 processando o jeans”, finaliza Paulo.

Com constatações tão sérias e reais, o grande final do evento Denim Meeting não poderia ser encerado de melhor forma. Quem não conhecia se encantou e quem já conhecia ficou esperando para ouvir Eduardo Cristian, empresário da Black West, que vende nada mais nada menos que 120 mil peças mês. Ao apresentar os três pilares do sucesso para a confecção, ele destacou inicialmente as oportunidades na crise. Para o palestrante, o que mudou no mercado não foi a crise, mas a competitividade.” Ninguém ensinou ninguém a ser dono de confecção, nem qual o jeito certo de fazer. Se você só conhece um jeito certo de fazer, então você não conhece o jeito certo”, diz ele.

Quem está crescendo? Quem está fazendo mais roupas? Entender os processos produtivos da Zara (a maior empresa de confecção do mundo) foi para ele a grande sacada. Como produzir de forma inteligente, gastando menos tempo, menos energia e menos dinheiro. Como ser assertivo no produto? O que é a roupa do momento? O que é tendência? Entender que quanto mais rápido eu posso produzir, mais rápido faço o produto do momento e mais assertivo me torno. “Precisamos entender que confecção é ciência financeira”. Eduardo conta que não existe hora máquina e sim hora humana. Pessoas é que fazem as roupas e não as máquinas. Como dirigir e engajar uma equipe? Os empresários precisam ser os motivadores de suas equipes. O que vai manter os colaboradores na empresa é o engajamento. Conhecer o cliente. Não vender preço, e sim produto. Usar todas as frentes de venda, varejo, atacado, ecommerce. Buscar indicadores, referências para focar energia onde vai vender mais. Saber qual modelagem, cor, tamanho, tecido vende mais, com embasamento e sem achismos. E finalmente, ser um especialista em vendas. Produto mais barato não é garantia em vendas. Os problemas financeiros se resolvem com criatividade e não baixando os preços. Essa foi a receita do Eduardo Cristian, que convidou a todos para festejar o sucesso do Denim Meeting com um coquetel de encerramento e desejos de um até breve.

Fonte: Iris Alacoqui | Fotos: Equipe Guia JeansWear