Dragão Fashion Brasil celebra 20 anos com mega estrutura em Fortaleza

Entre os dias 15 a 18 de maio, o aterro da Praia de Iracema, em Fortaleza foi palco da edição comemorativa do 20º Dragão Fashion Brasil Festival, o maior encontro da moda autoral da América Latina.

Diretor do evento, Cláudio Silveira chamou de “Cidade Autoral” o espaço com mais de 27.000 m² de estrutura, construído especialmente para a realização dessa edição, em parceria com o Governo do Estado do Ceará. Por lá, passaram 36 desfiles, quatro balés, 18 shows, oito palestras, quatro workshops, sete bares, 14 restaurantes e até uma feira com foco em economia criativa, com 60 expositores.

As coleções autorais de 36 nomes, tais como Lindebergue Fernandes, Gisela Franck, David Lee, Wagner Kallieno, Almerinda Maria, MelkZ-da, Jeferson Ribeiro, Ronaldo Silvestre, Kallil Nepomuceno, Rendá por Camilla Arraes e D’Aura. Os desfiles foram realizados em três salas de desfile: duas internas, com capacidade para 1.000 pessoas cada, e uma externa de frente para o mar, o DFBeach Club, com passarela de 150m de extensão, instalada sobre as areias do Aterro.

Representando a presença dos sindicatos do segmento no Ceará, o Sinditêxtil promoveu o trendshow com o preview dos lançamentos da tecelagem Jangadeiro Têxtil. Além disso, o SindiRoupas apresentou a estreia da marca Matias, com estilo assinado pelo estilista Deoclys Bezerra, que voltou ao Evento em que conquistou o primeiro prêmio Novos Talentos ainda em 2000. O Senac/CE também marcou presença com a coleção Cariri Visceral, fruto de um semestre de pesquisas, assinada por alunos de Juazeiro do Norte.

Mantendo a tradição há 19 edições, o Concurso dos Novos reuniu estudantes de todo o país, na corrida pelo prêmio de R$ 10.000,00, com equipes de faculdades do Ceará, Pará, Paraná, Piaui, Rio de Janeiro e São Paulo. O primeiro lugar ficou com os alunos dos cursos de moda da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), enquanto a Universidade da Amazônia (Unama) pegou o vice. A lista de vencedores se encerra com a Universidade de Fortaleza (Unifor), na terceira colocação.

O projeto foi desenvolvido pelo festival para oferecer oportunidades e visibilidade aos novos talentos e estudantes de moda de todo o país. Foram mais de 150 trabalhos inscritos no programa, sendo apenas oito deles escolhidos.

Nos bastidores, a direção dos desfiles – tradicionalmente feita por Claudio Silveira – ganhou um reforço de peso com Claudio Santana, que conta com desfiles da New York Fashion Week, São Paulo Fashion Week e Korea Fashion X Passion em seu currículo.

Pluralidade

Além de enaltecer a cultura da moda autoral brasileira, o DFB foi além e ofereceu uma programação multicultural, composta por exposições, mostra de curtas-metragens, lançamentos de livros, espetáculos de dança, shows de música e sets de DJs.

Ao todo, três exposições foram apresentadas no evento. O estilista David Lee remontou a instalação apresentada na temporada de moda de Londres, no início deste ano, para a qual foi convidado pelo British Fashion Council, em ação inédita orquestrada pelo Senac/CE.

Dando continuidade à expo paralela no Museu de Fotografia, o Dragão Fashion Brasil apresentou a exposição DFB 20 Anos • Novos Olhares, com curadoria de Maria Julia Giffoni e Thais Mesquita, reunindo trabalhos de fotógrafos de várias gerações, como Delfina Rocha, Nicolas Gondim e Luis Moraes.

Já no lounge principal do evento, o destaque ficou por conta de uma linha do tempo com grandes momentos dessas duas décadas de DFB Festival – incluindo imagens raras das primeiras edições, quando o evento ainda se chamava Dragão Fashion.

Em 2019, o DFB Festival realizou um desejo antigo: lançar uma mostra competitiva de fashion films de curta-metragem, reunindo profissionais, alunos e apaixonados por moda autoral. Tendo o universo das praias como temática, a 1ª Mostra DFB Move Moda, reuniu trabalhos de todo o Brasil, incluindo a participação de 11 entidades de ensino técnico e superior.

Foram selecionados 26 vídeos, de representantes dos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Paraná, Maranhão, Sergipe e Bahia. Os curtas-metragens foram exibidos individualmente, na abertura dos desfiles do line-up oficial do DFB.

O festival ainda reuniu grandes nomes da música no Palco Cores, com produção assinada pela Cores Entretenimento, e no Palco Sesc, com 300m² de área coberta, que além das apresentações de dança, recebeu grandes shows, e curadoria artística assinada pelo SESC-CE.

Ao instalar-se nas areias do aterro da Praia de Iracema, o DFB de 2019 reafirmou seu compromisso com ações sustentáveis de estímulo à preservação do meio-ambiente. Para garantir a praia limpa antes, durante e após o evento, o festival firmou parceria com a Enel, através do programa EcoEnel para a realização de coleta seletiva de todos os resíduos gerados, durante todos os dias de Festival.

Sustentabilidade também foi um dos preceitos da economia criativa, sistema produtivo que esteve presente no Evento através do espaço Reserva Sustentável, apresentado pelo Governo do Estado: 60 expositores comercializaram produtos que obedecem a critérios sustentáveis de produção e consumo consciente.

O Senac, mais uma vez, correalizou o ciclo de formação Dragão Pensando Moda (DPM), composto por talkshows, mesas redondas e workshops formativos abertos ao público, com nomes como o consultor e estilista Dudu Bertholini; o diretor criativo da Animale, Vitorino Campos; o criador da label sustentável Ahlma (Grupo Reserva), André Carvalhal; o criador do seminário Homem Brasileiro, Mario Queiroz; o diretor de marketing e exportação Água de Coco, Renato Thomaz, entre outros convidados. Essa mega estrutura contou com o espaço Ceará Gastronômico, reunindo 14 restaurantes e bistrôs, além de sete bares, com curadoria do bar Santa Gela.

Na passarela

O idealizador do DBF Festival, Claudio Silveira, apresentou um desfile inédito na passarela: a Rota Jeri. A coleção cápsula foi resultado de uma viagem pelo litoral cearense, onde puderam conhecer de perto grandes talentos do artesanato local. Focada em moda praia, a linha é assinada juntamente pelo diretor criativo do evento, Charles W.

Durante os quatro dias de evento, o regionalismo e os desfiles conceituais foram destaques nas mais diversas áreas e os desfiles inovaram com coleções especiais, performances e participações de figuras da música, cena pública, empreendedorismo e showbusiness.

Troféu DFB Festival

O último dia do Dragão Fashion Brasil foi repleto de homenagens. O idealizador Claudio Silveira, realizou uma solenidade de premiação do Troféu DFB Festival 20 anos. Na ocasião, foram prestigiadas pessoas e instituições que fizeram parte da história do maior evento de moda autoral da América Latina.

Entre os homenageados, apareceram nomes como o de Araguacy Filgueiras, representando a primeira turma da Universidade Federal do Ceará, Deóclys Bezerra, vencedor da primeira edição do Concurso dos Novos Talentos em 1999, e Iorrana Aguiar, co-criadora do Dragão Pensando Moda ao lado de Cláudio Silveira.

Josenias Júnior, co-criador do Dragão Fashion Brasil, Lúcio Albuquerque, empresário e diretor da Handara, Sandra Luck e Gilson Tenório, modelos das primeiras edições do DFB, Silvânia de Deus, estilista que abriu o Dragão Fashion em 1999 e Verônica Perdigão, diretora da Santana Textiles, primeira indústria a investir no DFB, encerram a lista de homenagens. Além disso, ainda houve menção honrosa ao Élcio Batista, secretário-chefe da Casa Civil, por sua atuação em programas e incentivo à inovação.

Fonte: Sandra Motta | Fotos: Davi Magalhães