Fashion Revolution promove evento em São Paulo no mês de abril

Não é de hoje que a sustentabilidade é uma pauta importante no mercado da moda, e essa voz ganha ainda mais força durante a Semana Fashion Revolution. A edição de 2019 da campanha será realizada entre os próximos dias 22 e 28 de abril, em mais de 100 países. Somente no Brasil, mais de 80 faculdades, 51 cidades de 19 estados e o Distrito Federal, vão realizar atividades para debater a futura indústria da moda.

Em São Paulo, a campanha ganha um caráter especial com a realização de uma conversa com a deputada Tabata Amaral sobre moda e política, no dia 26 de abril. O encontro será realizado no Unibes Cultural (Rua Oscar Freire, 2500) em Pinheiros, a partir das 19h.

Neste ano, são três os pilares discutidos ao longo da semana: mudança cultural, mudança na indústria e mudança política. A semana irá englobar mais de 500 eventos em todo o país, com atividades diversas, como palestras, trocas de roupas, exibição de filmes, painéis de discussão, rodas de conversa e oficinas.

O evento que levar as pessoas a reconhecer o impacto pessoal e valorizar a qualidade em detrimento da quantidade. Vale destacar que, ainda que a sustentabilidade esteja crescendo na indústria da moda, as violações dos direitos humanos, a desigualdade de gênero e a degradação ambiental continuam abundantes.

Segundo pesquisa da Global Slavery Index, 40,3 milhões de pessoas se encontravam em situação de escravidão moderna em 2016, sendo 71% do grupo formado por mulheres. Os dados mostram que as peças de vestuário estão entre os itens com maior risco de serem produzidos por meio da escravidão moderna.

“Moda revolucionária é aquela que faz bem para todos: para a Terra, para quem fez e para quem usa. Lembrar que moda, representatividade e liberdade devem estar na mesma página”, diz Fernanda Simon, diretora executiva da campanha.

Além dos eventos realizados pelo país, a Semana Fashion Revolution também irá ocorrer na internet. Para participar, basta tirar uma foto vestindo uma peça de roupa ou acessório e postá-la, tagueando a marca. Na legenda, utilize as hashtags #QuemFezMinhasRoupas e #FashionRevolution. As marcas devem responder quem fez, mostrando as pessoas por trás de suas produções, indicando #EuFizSuasRoupas e #FashionRevolution na publicação.

A programação completa da campanha está disponível no site www.fashionrevolution.org.

Fonte: Redação | Fotos: Fashion Revolution