Feira Magic Las Vegas destaca três qualidades que conectam o denim mundial

A indústria denim é frequentemente descrita como uma comunidade muito unida e, ao que tudo indica, a conexão tende a aumentar ainda mais nas próximas estações. Esta foi uma das mensagens sinalizadas pela edição de Verão 2020 da plataforma da feira Magic Las Vegas, que aconteceu entre os dias 14 e 16 de Agosto. Químicos e tecelagens, marcas de luxo e fabricantes, lavanderias e grifes, todos estão somando ideias unindo os elos da cadeia com este foco.

Anos 70, 80 e reformulações dos anos 90 acusaram um perfume de nostalgia no mix de lançamentos. No segmento jeanswear, essas direções foram mencionadas para além de volumes e formas: toques, texturas e aparências experimentais se sobressaíram como investidas estratégicas das tendências.

Um dos destaques do evento, foi a marca de roupas Mexicana Aztex, que apresentou tecidos e lavagens chave na área de insumos da feira, destacando em seu sortimento produtos articulados através de colaborações, inovações e sustentabilidade: três qualidades que de acordo com a diretora executiva Patricia Medina, dependem uma da outra, e por isso mesmo tem aproximado os elos da cadeia azul em nível mundial.

Entre os exemplos dessa conectividade nas manufaturas de denim, estavam a Planet Rehab, a coleção cápsula desenvolvida por Carlos Gordillo e produzida através da parceria internacional com os fabricantes de denim comprometidos com a redução do impacto ambiental.

Pretendendo inspirar outras companhias a combinar suas áreas de expertise em prol de mudanças positivas, a coleção usou artigos da Tecidos Royo dotados de fibras de lyocell das marcas TencelXRefibra na composição. Os tecidos foram tingidos com os pigmentos da tecnologia Recycrom, da Officina+39, os quais são obtidos a partir de descartes têxteis e acabamentos sustentáveis da Tonello.

O resultado da Planet Rehab também reflete o crescente interesse no mercado de efeitos de tingimentos. Tie-dye, formando desde efeitos espirais até reproduções do movimento da água estiveram presentes do moletom ao combo em white denim de marcas como Velvet Heart, Nytt e e Hoodie.

No agrupamento de coleções, destaque para a miriade de efeitos de tingimentos similares ao reflexo da água, e a textura granulada do concreto. Já as lavagens mais brandas do denim simularam o tie-dye dos anos 70. Para outros tecidos, o tingimento foi aplicado através de esponjas em áreas esparsas e estratégicas das peças.

No sortimento PG Denim, foram apresentadas sarjas com superfícies flocadas, com a viscose adicionando um toque surpreendente a algumas interpretações, como a jaqueta trucker e camisas utilitárias. Com uma lavagem amaciado elevando o conforto e suavidade das roupas, os tecidos também assumiram uma aparência áspera através dos efeitos lixados e de bigodes 3D.

Aztex também apresentou um mix mais elevado intitulado PG Denim, fabricado em aliança com a marca de luxo italiana R&D. Da colaboração, surgiram índigos e black denim diferenciados por fios de prata no lado externo. O produto final culminou em um look high-low extremo. Para uma sensação mais arrojada, Aztex promoveu também o sortimento com jeitão de oficina de denim black com camadas de efeitos dourados em laser, camadas vívidas e splashes de glitter.

No mix denim, combos texturados, peças utilitárias e diversos fits clochard mencionaram a nostalgia de décadas inspiradoras da moda. Já nos demais itens da estação, o agrupamento de marcas sinalizou importantes diálogos do material nos plissados de saias longas e pantalonas. Também acusou uma retomada corajosa e glamoroso brilhos e paetês — especialmente no tom dourado. Agregando ênfase nas texturas, também surgiram os tricôs com visual de tapeçaria e para somar frescor em apelo romântico, foram muitos os vestidos leves com visual camponês. expostos nas coleções.

Fonte: Vivian David | Fotos: Divulgação