Flexibilização dos modelos operacionais são sinônimo de sustentabilidade na ITMA

Produzir de acordo com demandas reais, evitar sobras e saldos no chão de fábrica, além de vislumbrar na flexibilização dos processos uma conexão maior com o que vende e o com o que o consumidor precisa. Este ideal onde ganhos de capital são diretamente proporcionais à redução de desperdícios norteou a 18º edição da feira ITMA. O evento influente e global ocorreu em Barcelona, entre os dias 20 e 26 de junho, e viu sua reputação se solidificar ainda mais com o maior numero de expositores já agrupado em toda a sua trajetória.

Desde o seu lançamento em 1951, a ITMA tem recebido imensa atenção e reconhecimento como a maior exposição de tecnologias têxteis e para o vestuário do mundo. Com foco em inovação para todas as etapas da cadeia, em um espaço de 114.500 m², a feira realizada pelo grupo CEMATEX (Comitê Europeu de Máquinas para Manufatura Têxtil) agrupou o número recorde de 1.717 empresas expositoras de 45 diferentes países, superando em 9% a última edição. Para permitir a participação desse número maior de companhias, muitos expositores ocuparam um espaço menor do que originalmente pretendido.

Refletindo a composição internacional dos participantes, a maior parcela de expositores foram provenientes da Itália (364 expositores), China (267 expositores), Alemanha (222 expositores), India (169 expositores) e Turquia. Desta amostra, 325 corresponderam à etapa do acabamento, 281 da fiação, 157 da estamparia e 136 das malhas retilíneas. Os números dos visitantes também impressionaram: mais de 105.000 pessoas de 137 diferentes países passaram pela feira. Das

A ITMA de 2019 trouxe como tema o slogan “Inovando o mundo dos Têxteis“. Para respaldar a direção inovadora, CEMATEX introduziu ao evento o ITMA Innovation Lab. Um novo leque para uma série de atividades, incluindo o pavilhão de pesquisa e inovação, uma plataforma de palestras e a premiação ITMA Innovation Award, além de uma exposição de vídeos inovadores.

O produto Re-Gen, tecido com modo produtivo circular da fabricante Candiani Denim, foi o vencedor da premiação ITMA Inovation Award. O tecido mistura em sua composição 50% de Lyocell Tencel x Refibra obtido a partir do processo de torção fechada de sobras da polpa do algodão, e 50% de sobras de fibras industriais residuais provenientes da própria produção da Candiani. O segundo lugar, foi designado à Levis Strauss & Co. e Lee. Levis foi eleita graças à práticas sustentáveis como o estúdio de customização FLX, o qual permite ao cliente optar por um acabamento customizado de jeans e criá-lo em apenas duas horas por meio de métodos sustentáveis com água 100% reciclada.

Já a Lee, faturou o prêmio por ações inovativas como a adoção do sistema All-in-one da Tonello, o qual reduz sensivelmente a demanda de água e o custo produtivo do jeans em todas as suas etapas de manufatura. Tonello foi uma das finalistas também desta premiação, apresentando um acabamento capaz de reduzir o uso de 60 litros para beneficiamento de um jeans, para 5 litros.

No mix de soluções apresentadas para a produção do jeans, a Jeanologia revelou um novo modelo operacional para os fabricantes, desenvolvido para produções curtas em tempos otimizados, possibilitando a prática da fabricação motivada por demandas de mercado; em substituição a prática atual da venda de lotes já produzidos.

Sustentabilidade, custo neutro, produção escalável, agilidade e digitalização são fatores que integram o novo modelo operacional, formado pela combinação de hardwares e softwares Jeanologia. Laser, G2 Ozônio, e-Flow, Smart Boxes e o primeiro sistema de reciclagem de água H2Zero estão entre as combinações eco-eficientes das tecnologias que o integram.

Para a etapa do tingimento, a Archroma lançou o Diresul Smartdenim Blue, um liquido sulfuroso para tingimento azul desenhado para imitar o visual do indigo. O novo produto atende à toda lista de exigências de substâncias restritas, é livre de anilina, reflete a mesma tonalidade do índigo e pode ser usado em todo tipo de tingimento sulfuroso. “Brückner apresentou um software inteligente de assistência às máquinas, capaz de aumentar em 30% a produtividade das mesmas.

Estamparia digital também foi um forte tópico. Em uma sessão especial fechada organizada pela HP na Conferência Téxtil Digital, Lewis Shuler da marca Under Armour e Bart Sights da Levis falaram das transições digitais que vem sendo trilhadas pelas duas marcas. Entre as inovações apresentadas para este tópico, destaque para a Mimaki, que apresentou a nova impressora têxtil digital da marca, capacitada tanto a impressão diretamente no tecido quanto pela técnica de transfer – uma flexibilização que a torna funcional para uma variedade maior de tecidos.

O software TA Job Controller também foi apresentado no evento, sendo desenvolvido especificamente desenhado para o ambiente da produção têxtil, conexão com processos de rastreamento de imagens e com etapas automatizadas do desenho à pré e pós-impressão. EFI Reggiani trouxe ainda o processo Terra para pigmentos de estampas, que elimina completamente a necessidade do uso de vapor, água e desengomagem, reduzindo-o à preparação e estamparia junto com a polimerização.

Com o encerramento da edição, a industria têxtil mundial ganha uma injeção de criatividade e uma variedade de escolhas para seguir o caminho das rupturas tão necessárias ao setor.

Fonte: Vivian David | Fotos: Divulgação