François Girbaud e sua importância para o segmento Denim

François Girbaud é um nome que todo denim lover precisa conhecer. Faz parte da história do jeans, e também é parte responsável pelo futuro da indústria jeanswear. Autoridade no assunto, é considerado uma personalidade chave para compreensão da importância do patamar alcançado pelo setor, sendo também um dos criadores do stonewash, metodologia determinante para a popularização do uso do jeans lavado, e pelo desdobramento da indústria de lavanderias.

Recentemente, Girbaud se tornou um dos responsáveis pela Associação de Sustentabilidade, performance e tecnologia que caracterizam o setor.

Até a década de 60, o jeans era um artigo de moda desconfortável, que só envelhecia por meio de processos naturais de desgaste, cenário que mudou quando François, junto à esposa Marithé Bachelard, inventaram o visual do denim lavado, chamado de Stonewash – técnica que envolve a centrifugação do jeans com água e pedra pomes – criando assim a aparência mais representativa e icônica do segmento.

A criação transformou a experiência de vestir uma calça jeans, em uma sensação muito mais confortável. O que promoveu uma ligação entre o que as pessoas queriam e o que precisavam vestir na época, numa dimensão gigantesca, que resultou em mudanças de produção, a antiga goma tornou-se um perfume antiquado, e o jeans caiu nas graças do consumo em massa, virando uma peça reprodutível, em escala industrial, escapando dos domínios dos seus criadores. Emergia então uma indústria gigantesca, sem a qual o universo denim não teria alcançado. Pouca gente sabe, mas a dimensão global do segmento jeanswear hoje, se deve em muito ao “encontrão inspiracional” desse importante estilista, junto à esposa.

Mas se em um primeiro momento a dupla de designers assistiram impotentes sua obra inspirarem toda uma indústria, alheia aos danos ambientais, em um segundo momento ela motivou uma importante reação: Marithé e Girbaud compreenderam que não poderiam abandonar sua obra, continuaram zelando por ela, em busca de soluções que permitissem sua continuidade de um modo mais eco-friendly para a natureza. Ambos tomaram como desafio pessoal reverter o viés poluente que haviam sido desenhados pelo setor. Parcerias com lavanderias, indústrias químicas e tecelagens marcaram essa saga.

Da união com a Jeanologia, surgiu a idealização de novas técnicas, como o laser e ozônio. Palestras, envolvimento e apologia para um rumo mais sustentável, sempre respaldadas por inovações tecnológicas, continuaram marcando sua carreira. A associação do designer com tecelagens como Candiani, Royo e Tavex também marcou sua trajetória, e contribuíram para a transformação do denim reciclado, tecnológico e funcional em tendência.

A propriedade de François Girbaud e envolvimento com o segmento, o tornam também um visionário acerca dos caminhos que envolvem o design. Foi na feira Denim by Première Vision de 2015, que Girbaud apontou as barras customizadas, como uma das tendências mais promissoras para o jeans. E o alerta não poderia ser mais certeiro: estamos em 2018, consagrando a tendência para as temporadas de 2019 e permanência e evolução da mesma para 2020.

E se hoje o parque industrial que envolve o acabamento do jeans, associa sustentabilidade à tecnologia, e vislumbra nela um bom investimento, grande parte desse mérito é de François Girbaud. Denim lover. Guarde esse nome, sem ele, a história do jeans no passado fica incompleta, e os rumos futuros também. Confira o vídeo:

Fonte: Vivian David | Fotos: Reprodução