Jeans liberta o homem moderno de formalidades nas revistas internacionais

Eles, em sua versão mais refinada, por eles mesmos: dispensando ostentações na roupa, ou uso soberbo da alfaiataria. É com este discurso comum, que encontramos o jeans nas produções das mais influentes revistas de moda masculina. Diferente da atuação do material nas publicações femininas, onde a presença do ítem no look induz à uma leitura de moda mais simples; no menswear acontece o contrário. Libertando-se de formalidades, de acordo com as produções dedicadas ao denim das revistas Magazine, Augustman e Homme Korea; quanto mais o homem veste sua postura refinada com o discurso essencial relacionado ao jeans, maior a leitura fashion obtida na produção final.



Alcançando essa leitura, identificamos três personagens distribuídos entre as publicações. O primeiro, total denim, prático e utilitário; completamente à vontade com seu lifestyle. Nele, o jeitão bem sucedido de um terno bem cortado é substituído pelo formato estruturado do jeans. O discurso final é ousado, destemido, e dotado de pioneirismo. Nas variações deste look, entram os complementos mais elementares da moda casual, como o tuxedo, a jaqueta básica e a camiseta listrada.



O segundo personagem é o sedutor inconsequente: este, até usa alfaiataria; porém na linguagem insubordinada do visual índigo. E na maioria das interpretações, demonstra sua auto-aceitação pela associação da icônica t-shirt branca com variadas versões da jaqueta biker. Tudo isso, claro, finalizado pela versão mais enxuta possível da skinny masculina.



Por fim, temos a presença do homem maduro com espírito livre. Este, ostenta seus grisalhos, seus coletes antiquados, camisetas empoeiradas e estilo casual de couro associado ao vintage e ao tênis. Se a mulher ultimamente vem celebrando seu empoderamento através da moda, o homem, por sua vez, comemora uma conquista inversa: ligada a um estilo de vida mais leve, descompromissado e autêntico.

VIVIAN DAVID | FOTOS: REPRODUÇÃO