Kingpins Amsterdam: Feira consolida compromisso com a sustentabilidade

Kingpins e o tópico sustentabilidade. Em uma alusão bem humorada, pode-se considerar que ambos estavam em um “relacionamento sério” no mercado. E atualmente, evoluíram para um compromisso oficial. A mais recente edição da Kingpins Amsterdam, realizada nos últimos dias 10 e 11 de abril, avançou um passo providencial rumo ao cenário “eco-friendly”. Um passo que deve influenciar a evolução das feiras de negócios de moda como um todo – especialmente aquelas em que o denim é o carro-chefe.

Conforme já anunciado, a feira reafirmou que vai começar a solicitar como pré-requisito para participação das lavanderias, fabricantes e tecelagens, certificados de responsabilidade empresarial. Contextualizando esta realidade, a Kingpins anunciou também a colaboração com a ZDHC Foundation, que promove a redução do descarte de químicos no meio ambiente, para desenvolvimento de um protocolo e definição os níveis de progresso requeridos para os expositores do mercado denim. A previsão é que tais práticas estejam em pleno funcionamento até 2020.

Em consonância com todas essas iniciativas, a feira em Amsterdam evidenciou que sustentabilidade continua sendo o tópico número um da indústria. A pauta não aparece em função das declarações e iniciativas do fundador da feira, Andrew Olah, mas também pelas tendências de mercado desenhadas pelos lançamentos dos grandes fabricantes para a temporada de Inverno 2021. Ênfase em algodão orgânico, reciclagem de fibras que antes tinham pouco valor no mercado, novas lógicas que levam ao reaproveitamento total da produção, alquimias para obtenção de corantes mais amistosos ao meio ambiente e soluções naturais para obtenção do vintage fiel sintetizam os produtos de maior visibilidade na feira.

Entre as tecelagens nacionais que compareceram ao evento, os produtos fundamentados na reciclagem e no reuso interno do algodão apresentado como valor agregado foram os grandes destaques. No mix ofertado pela Vicunha, o destaque foi o tecido ABsolut, condecorado pelo selo Eco-Cycle e diferenciado pelo processo de fiação baseado na reciclagem pela desfibrilação dos resíduos do processo produtivo e sobras da própria empresa. O Ever Black, um dos mais buscados pela Diesel, também se destacou entre as variedades apresentadas pela tecelagem pela boa aceitação no mercado, mérito da alta resistência ao desbote que o caracteriza.

Já a Canatiba levou ao evento um compilado da linha sustentável ÉKO, também fundamentada em tecidos que usam reciclados de fios mais curtos de algodão da própria fiação da companhia, os quais acentuam características vintage e remetem ao linho no visual. De acordo com Fábio Covolan, diretor de marketing da companhia, os materiais antes eram fardados e vendidos para o mercado para produtos de menor valor de mercado. “Ainda são fibras virgens que nunca foram tintas”, explicou. Segundo ele, são fibras que conferem um resultado bastante rústico, pelo comprimento menor.

A reciclagem também foi o ponto alto de tecelagens internacionais como a Bossa, que lançou o Organic Autum Savefera, um denim feito a partir da mistura com algodão orgânico, reciclado e Refibra, tratado com a tecnologia Saveblue na qual reduz o consumo de água em 85%. Além disso, a Iskur Denim apresentou a coleção EarthSquad denim feita com fios obtidos a partir de cortes coletados nas sobras da empresa.

Algodão orgânico, ingredientes naturais para valorização do aspecto vintage e a conveniência da oferta de insumos sustentáveis com apelo produtivo descomplicado foram também tópicos fortes entre os expositores. Durante o evento, a Orta ofereceu uma nova técnica ambiental que usa barro de um rio da região da Capadócia próximo à tecelagem para provocar o envelhecimento do tecido naturalmente, sem uso de água poluída. Quando misturada ao bio indigo, produz diferentes matrizes de azul empoeirado na superfície dos tecidos. Quando aplicado no denim, consegue produzir efeitos novos e irregulares no mesmo.

A Albiate 1830 apresentou uma gama de denim de alta qualidade 100% orgânicos, enquanto a Neela by Sapphire Fabrics ofereceu denim pré lavado sustentável, livre de impacto ambiental, pronto para ser usado pelas marcas e confecções. Já a Tencel apresentou sua coleção Planet Rehab,desenhada por Juan Carlos Gordillo, usando tecidos Royo feitos com Tencel X Refibra, tingidos com os pigmentos Recycrom (corantes reaproveitados de roupas descartadas). Os materiais foram desenvolvidos pela Oficina+39 e beneficiados pela lavanderia italiana Tonello.

No quesito alquimias, Soorty e Advance Denim apresentaram produtos livres de anilina. A Garmon Chemicals introduziu a White & Green, uma solução alternativa para produtos perigosos usados na indústria em processos de acabamento, capaz de descarregar calças jeans abrindo a tonalidade para um elevado nível de brancura, brilho e contraste com economia de energia. E no campo das lavanderias, o acabamento Wiser Wash – técnica que substitui processos de lavagem com pedra e químicos pela oxidação do ar, a abrasão e o descoloramento – novamente ganhou destaque e visibilidade no espaço da Pizarro.

Novos players entram no ramo do laser para o denim, como a Sei Laser, antes atuante apenas no mercado dos metais e que agora passa a explorar o mercado dos tecidos. A companhia estará presente na ITMA para novamente divulgar seu equipamento, o all-in-one Matrix, capaz de cortar e beneficiar o jeans de acordo com o fabricante. Ainda neste quesito, tecidos mais sensitivos à tecnologia também se destacaram no evento, a exemplo do sortimento da Kaltex.

Seguindo as direções que endossam tendências ligadas ao conforto, conforme anunciado previamente na feira Munich Fabric Start em Fevereiro, deste ano, a Lycra apresentou a nova fibra de elastano Lycra Freef¡t. A mesma proporciona maior comodidade para o cós do jeans, por apresentar uma compressão inteligente para o corpo, capaz de se adaptar às variações de manequim.

A nova fibra tem previsão de lançamento no Brasil para o mês de outubro. Representando esse mesmo discurso, porém com falas de suavidade, muitos produtos exploraram também o tato agradável do denim, pelas misturas com tencel e Modal. Já a Soorty apresentou uma ampla gama de produtos com tencel, enquanto a Bossa lançou o Eversoft, uma seleção caracterizada pela mistura diferenciada entre denim e modal.

Proporcionar o progresso do segmento com novas idéias também foi um foco importante da feira. Como exemplo, a Jeanologia inspirou os criadores a olhar para seus próprios arquivos, propondo uma nova lógica de reciclagem, baseada na revitalização dos próprios estoques e peças não vendidas pelo acréscimo de efeitos de laser, elementos gráficos e impressão de caracteres, bordados, abrasões e efeitos assimétricos dando uma nova vida às peças.

Fonte: Vivian David / Fotos: Equipe GuiaJeansWear