Marketplace do Brás aposta na indústria nacional

Há dois anos, fabricantes do Brás, em São Paulo, apostaram na digitalização da venda de peças em atacado e varejo para os 400 mil revendedores e sacoleiras que buscam produtos na região. Competindo com gigantes do setor de marketplace, o Giro no Brás deu pontapé inicial vendendo os jeans fabricados pela Black Jeans, Colbie, Darlook, Dinho’s, Eruption e Fact Jeans. E os resultados têm sido positivos até aqui.

“Nossos planos de expansão preveem a exportação dos jeans, calçados e biquínis do Brás para os Estados Unidos. Temos um produto de alta qualidade com um preço bastante competitivo. Hoje, nosso tecido já está sendo exportado, queremos que a exportação das peças acabadas, com modelagem brasileira seja incrementada na mesma proporção que cresce o marketplace: 400% ao mês”, disse Viviane Marrese, CEO da empresa.

Na última segunda-feira, o Giro no Brás ampliou suas categorias ao incluir calçados, moda evangélica e malharia em seu portfólio, além do recordista de vendas que hoje já é exportado para os Estados Unidos e México: Plástica Natural, da Eloisa Medina.

Todo esta evolução do e-commerce de atacado está mudando o hábito dos revendedores que viajavam longas distâncias para visitar o maior polo de moda da América Latina. Oferecendo a possibilidade de parcelar a compra em até 12 vezes, a compra em várias lojas com um único checkout e um atendimento personalizado.

As facilidades têm dado uma nova cara ao comércio local, trazendo mais interesse pelas novidades nas vitrines Brás. Neste cenário, o setor jeanswear tem um papel importante, já que os melhores e maiores fabricantes de denim estão alocados na região. A preocupação com a estética das coleções aumentou, com a presença e peças cada vez mais sofisticadas e atrativas para manter o histórico de inovação num mercado muito competitivo.

As indústrias locais estão na segunda ou terceira geração e a evolução passa principalmente pela necessidade de novidades todas as semanas e de agilidade na compreensão do desejo dos clientes. Os produtos baratos existem, mas num momento histórico onde a sustentabilidade da moda está em alta, não só os processos de lavagem e confecção tem que atender ao novo chamado da sociedade, a durabilidade também vai ser um ponto avaliado pelos jovens consumidores que estão entrando no mercado.

Detalhes, bordados, lavagens e modelagens aparecem nos jeans, processos que exigem um trabalho bem mais elaborado por parte dos designers e modelistas. Com isso, as oficinas tem que se adaptar a esta demanda e a indústria, com tecidos que agregam mais versatilidade aos modelos.

Vale destacar que mais de 70% das peças de vestuário vendidas no Giro No Brás são jeans. Com mais de 6 milhões de páginas visualizadas, pelos mais de 600 mil usuários da plataforma, o maior destaque fica para a confiança que os revendedores desenvolveram ao longo do tempo.

Fonte: Redação | Foto: Reprodução