Materiais e formas ligadas ao luxo são tópico das ruas de Nova Iorque

A moda de rua é o novo palco do luxo: esta é uma das evidências mencionada nas passarelas, e endossada pelo agrupamento de fashionistas que transitou nos arredores da semana de moda de Nova Iorque. E é natural, que depois de uma longa reverência ao mood essencial; o look corriqueiro esteja saudoso de materiais mais nobres, volumes mais pomposos, e um toque de ostentação. Neste ciclo que resgata materiais como veludo, rendas, transparências e elementos como babados e franjas; as versões familiares do denim apresentam-se menos numerosas. Já as mais criativas; em contrapartida, estão sendo adotadas com naturalidade e frequência maior.



Entre as várias direções lançadas no catwalk que apresentaram sua versão usável nas ruas; tivemos a estética unissex permeando elementos de modelagens retas e pantalonas. Interpretadas com mais rigidez, somando vincos e elevando detalhes de barras a protagonistas do look; as calças com visual masculino associaram-se à importantes fetiches do universo feminino, como os corselets e as blusas com estampa de onça.


Com o mesmo propósito sedutor, vestidos denim com visual de jaqueta trabalhada e trench-coat retorcido; mostraram sua aplicação imediata, assumindo leitura urbana conectada com a vaidade. Os babados, por sua vez; perdem o sentido inocente original, e são adotados como argumento de alta moda: seja nas versões robustas do decote cigano, bufantes, ou seja nos detalhes de construção de blusas estruturadas.



Quando o jeans aparece essencial, requisita artifícios como sapatos dourados, plumas iridescentes, transparências mágicas e mesmo peças do sleepwear como o top camisolinha. E a tendência athleisure? A conhecida influência que moveu a moda atlética para o look arrumadinho, continua em alta, e em evolução; dialogando com o luxo através do conceito de desempenho ligado à ostentação. Desta vez, levando a disposição dos tons fluo para a cartelas do jeans rasgadinho, adotando toda sorte de patches, e incentivando a jaqueta básica a constar amarrada na cintura; na companhia de fits retos, tênis e top cropped.


Por fim, Nova Iorque mostrou que existe sim, um desejo muito grande pelo visual místico no cenário cidade: nas diversas aparições de calças flare e shorts decoradas por arabescos ornamentais, cabelos no meio, dedos em visual paz e amor e chapéu de abas largas com proposta zen.


VIVIAN DAVID | FOTOS: Phil Oh / diego zuko