Moda, amor próprio, aceitação: Flávia Durante fala sobre o movimento Plus Size e sobre o Pop Plus

“Numa sociedade que lucra com a nossa insegurança, se amar é um ato de rebeldia”. Certamente você já se deparou com essa frase pela web. O poder dessas palavras vai ao encontro com uma tendência que vem tomando conta das redes sociais: o empoderamento. Grupos de pessoas até então vistos como minorias começam a tomar o seu espaço, e isso reflete no mercado da moda. O movimento Plus Size que o diga. De acordo com dados da Associação Brasileira de Vestuário (Abravest), o mercado curvewear cresce 6% anualmente, movimentando cerca de R$5 bilhões.

Para falar um pouco mais sobre a ascensão do movimento, autoestima, amor próprio e moda, o Guia JeansWear entrevistou a jornalista, DJ e empresária Flávia Durante, criadora do Pop Plus, a maior feira de moda no setor Plus Size. Aos 41 anos, ela nos conta um pouco sobre a sua trajetória, sobre o processo de se reconhecer como uma mulher gorda, aceitar as suas curvas e medidas e ainda dá dicas de como encontrar o jeans perfeito.

Guia JeansWear: Você sempre se leu como uma pessoa gorda? Como começou o seu processo de empoderamento?

Flávia Durante: Eu engordei depois de adulta, mas eu nunca fui uma pessoa magra, sempre fui grande e alta, com 1,73m. Engordei depois dos 25 anos e não teve um momento exato de empoderamento, mas eu nunca admiti ser maltratada em lugar nenhum por conta disso. Lógico que na época, há 10, 15 anos atrás, não se falava em gordofobia e empoderamento, então não tinha noção disso, mas nunca achei que estivesse errada no mundo. Eu achava que a sociedade e o mercado da moda é que tratavam mal as pessoas de diferentes corpos e que elas deveriam ser respeitadas. Depois que eu comecei a fazer o Pop Plus, em 2012, dei início a esse processo de levar isso como uma bandeira, da inclusão na moda, por uma moda mais democrática, da acessibilidade, na saúde, da representatividade na mídia e em outras questões que fazem parte do cotidiano de uma mulher gorda.

Guia JeansWear: Foi fácil para você perceber que o seu corpo não era errado e que o problema estava no mercado da moda? O que você diria para as mulheres que ainda não têm essa percepção?

Flávia Durante: Para mim foi mais fácil entender isso porque eu acredito que se a gente vive em um mercado de consumo ele tem que estar disponível para todas as pessoas, independente do tamanho, idade ou gênero. Mas infelizmente não é isso que acontece. Alguns empresários preferem deixar de ganhar dinheiro do que ver pessoas gordas vestindo suas marcas. Às vezes é uma questão de falta de know how, de falta de vontade, mas muitas vezes é puro preconceito. Ele não quer ver a mulher gorda usando a mesma peça que a cliente magra dele usa, e isso é muito triste. Isso é um preconceito histórico na moda, de que magreza é sinônimo de elegância e ser gordo, de desleixo. As mulheres não têm que aceitar isso, elas têm que ocupar esse espaço que é direito delas. Assim como também outros espaços, como nos esportes, na publicidade, na cultura pop, no mercado de trabalho… A gente não tem que ficar restrito em guetos, temos que estar em todos os lugares.

Guia JeansWear: Como você lida com a pressão estética e existe diferença entre essa pressão e gordofobia?

Flávia Durante: Existe sim diferença entre pressão estética e gordofobia. Pressão estética todas as pessoas, principalmente as mulheres, passam independente do seu tamanho, gênero, etnia ou idade. Mas gordofobia é uma questão específica das pessoas gordas, que é muito mais do que ser xingado na internet ou pelas ruas, é uma questão de perda de direitos e exclusão da sociedade.

Guia JeansWear: Como surgiu o seu interesse pela moda? Você sempre se sentiu acolhida nesse universo?

Flávia Durante: Sempre gostei de me vestir de uma forma diferente, mas o assunto moda em si achava chato. Me senti excluída a partir do momento que comecei a engordar e não encontrava mais nada no meu estilo e personalidade. A partir do momento em que criei o Pop Plus entendi a moda como uma aliada e como um assunto importante, parte de nossa cultura, consolidação da autoestima e da identidade de moda.

Guia JeansWear: Por muito tempo, houve quem dissesse que gordo não pode usar jeans, pelo fato de nem sempre encontrarem uma modelagem que se ajusta ao corpo ou por não haver uma padronização. Enquanto em loja x o manequim 44 serve, em y o 46 não passa da coxa e o 48 fica folgado. Encontrar peças em jeans, principalmente shorts e calças, é a maior dificuldade da pessoa gorda?

Flávia Durante: Encontrar um jeans perfeito é uma das maiores dificuldades das pessoas gordas, tanto na questão da modelagem quanto na questão de durabilidade, pois por conta da fricção da parte interna das pernas o jeans se desgasta muito rápido. E quanto às tendências, também houve uma demora para oferecer o mesmo tipo de produto da grade convencional. Havia um excesso de informações, muito bordado, brilhos e strass e poucas modelagens atuais. Somente de 2 anos para cá começamos a encontrar jeans com cortes atuais como o boyfriend, mom, slim, skinny, lavagens diversas. As mulheres que vestem plus size têm que ter todas as opções da moda, quem deve decidir o que é bom para elas são elas mesmas.

Guia JeansWear: Quais as dicas que você dá para encontrar o modelo jeans plus size perfeito?

Flávia Durante: Não ter medo de experimentar, sempre que possível. Testar o jeans e sentar para ver se o cós não enrola quando você se senta. E pegar indicações de marcas das amigas que vestem plus size.

Guia JeansWear: Da mesma forma que existe o padrão “magro”, há quem diga que querem padronizar o plus size, que seria o corpo com pouca barriga e muitas curvas. Você concorda que isso realmente esteja acontecendo? Qual sua opinião sobre?

Flávia Durante: Mesmo no mercado plus size a gorda ainda é idealizada e segue um padrão. Nas campanhas desse segmento as modelos em sua maioria não têm barriga, tem cintura fina e não têm papada, o que faz com que a maioria das mulheres ainda não se identifique. Mas algumas marcas pequenas que faz um trabalho mais autoral têm ouvido melhor suas clientes e variado mais os perfis de modelos das campanhas.

Guia JeansWear: Em 2016, a França aprovou uma medida exigindo que modelos portassem atestados médicos declarando estarem saudáveis e longe da subnutrição. Qual o impacto que uma decisão dessa traz para o mundo da moda e como isso reflete no movimento plus size – se é que reflete de alguma forma?

Flávia Durante: Na realidade tenho minhas dúvidas em relação a esse tipo de medida pois se não queremos que as gordas sejam vistas como doentes, também não devemos achar que toda magra é anoréxica ou bulímica. Acho que não é dessa forma que traremos mais diversidade para a moda ou para a publicidade.

Guia JeansWear: As pessoas ainda enxergam a palavra gorda como pejorativa, xingamento, ao invés de entender que essa é uma das características dentre tantas que um ser humano pode ter. Qual a melhor forma de lidar com isso e quebrar esse estigma e preconceito?

Flávia Durante: As mudanças começam nas famílias. Não criticar uma filha ou filho de uma forma agressiva por conta de seu peso, incentivar a praticar hábitos saudáveis, não somente levar o filho no médico para tomar remédios fortes e fazer dietas restritivas logo cedo. Livrar-se de pessoas com comportamentos tóxicos e cercar-se de pessoas que te respeitem independente de seu tamanho.

Guia JeansWear: No seu ponto de vista, existe diferenças, do homem gordo x mulher gorda, em se tratando do universo da moda?

Flávia Durante: Pelo menos nisso a mulher ainda leva uma certa vantagem de ter mais opções de marca e de modelagens. As marcas masculinas ainda estão bem atrás, a maioria não se atualizaram. Por conta do machismo, o homem também não trata esse assunto como se fosse dele, então não costumam exigir do mercado e pressionar por mudanças como as mulheres fizeram ao longo desses dez últimos anos.

Guia JeansWear: Você foi considerada pela Revista Marie Claire em 2015 uma das mulheres que fazem a diferença, e desde então toda a sua atuação no movimento só aumentou. Qual a sensação? Você tem noção de que inspira centenas de outras mulheres pelo Brasil?

Flávia Durante: Muito obrigadaaa! Na verdade nunca pensei nisso de ser um exemplo, minha ideia era apenas resolver um problema. A partir do momento que clientes foram dizendo como o Pop Plus havia mudado a vida delas para melhor foi que passei a ter noção disso. E passei a ter cada vez mais empatia por mulheres gordas mas com diferentes necessidades das minhas, como as que vestem acima do 54, que ainda são muito excluídas até do próprio segmento plus size.

Guia JeansWear: Por ser uma mulher gorda, DJ, militante e atuante nas causas que dizem respeito a gordofobia, qual a maior dificuldade que você encontra para trabalhar com moda e viver na noite? A cultura no Brasil contribui para essas dificuldades?

Flávia Durante: Foi justamente a falta de roupas com meu estilo para eu poder tocar na noite de São Paulo que me motivou a criar o Pop Plus, pois eu queria roupas com brilhos, com decotes e transparências e não encontrava. Então o Pop Plus começou com essa proposta mais ligada à noite e a moda alternativa e depois foi se adaptando às demandas que foram surgindo. Na noite a gente também passa por preconceitos e padronizações até nisso, quantas vezes me pediam um orçamento para tocar em eventos e festas, aí nunca me respondiam. Quando eu via as fotos no dia seguinte haviam contratado um perfil mais modelete. Mas eu nunca deixei de tocar por isso, acabava criando minhas próprias festas.

Guia JeansWear: Agora vamos falar um pouco sobre o Pop Plus. Há quanto tempo o evento existe, como começou e qual foi a recepção no mercado da moda?

Flávia Durante: O Pop Plus surgiu em dezembro de 2012, da minha própria necessidade que era de encontrar uma moda autoral e contemporânea, o que não existia no mercado plus size na época. Era tudo pensado para disfarçar o corpo gordo de alguma forma. Sentia falta de ousadia, criatividade e inovação neste mercado e com o Pop Plus estamos continuamente buscando isso.

Guia JeansWear: A última edição do evento contou com mais de 70 expositores. Onde estavam esses estilistas e empreendedores?

Flávia Durante: Esses estilistas na verdade não existiam, o Pop Plus incentivou a criação de um mercado que pensa a moda plus size de uma forma diferente e não como antes, que era disfarçar o corpo. Alguns encontrei através de uma pesquisa árdua e muitos foram se criando a partir do Pop Plus, sendo que alguns empreendedores eram clientes. Hoje em dia a gente faz um trabalho reverso de curadoria, muitas marcas chegam até nós e a gente seleciona de acordo com o que ainda não temos em nosso evento e que ofereçam propostas realmente inovadoras. Não queremos mais do mesmo.

Guia JeansWear: Como você vê o mercado plus size no Brasil? E no exterior?

Flávia Durante: O mercado plus size cresceu muito nos últimos anos muito por conta do esforço e criatividade do pequeno e médio empreendedor que não necessariamente veio do meio da moda. Há muitas marcas que participam do Pop Plus cujos proprietários criaram suas grifes por não se enxergarem no que já existia, além de vislumbrarem uma oportunidade. Mas infelizmente o grande varejo ainda não acompanhou as necessidades desse público. Apenas 17% do mercado de varejo atende o público plus size, sendo que quase 60% do público brasileiro está acima do peso.

Guia JeansWear: O aumento da demanda e da oferta de produtos no mercado plus size contribui para a auto aceitação do gordo?

Flávia Durante: Com certeza, pois ela deixa de se ver como uma pessoa errada, deslocada, inadequada no mundo e na sociedade.

Guia JeansWear: Ainda falta representatividade nos grandes eventos de moda, como Fashion Week, por exemplo?

Flávia Durante: Sim, pois ainda tratam gordo como exótico, como um objeto para chamar atenção da mídia e não estão preocupados em oferecer produtos para essas pessoas de uma forma permanente. Então a gente vê por aí desfiles que às vezes convocam modelos plus size e depois não dão continuidade à proposta. Então acho que essa inserção por muitas vezes é hipócrita e oportunista. Entre as poucas marcas que trabalham a diversidade corporal de uma forma bacana e constante são a LAB e a Isaac Silva.

Guia JeansWear: A próxima edição do Pop Plus já tem data para acontecer? O que as pessoas podem esperar do evento?

Flávia Durante: Sim! Dias 8 e 9 de setembro e dias 8 e 9 de dezembro, sempre no Club Homs, na Av. Paulista, 785. além de marcas do Brasil inteiro, sempre temos atrações no palco, debate, encontros, conversas e acolhimento, que faz o Pop Plus muito mais do que um evento de consumo de moda.

Guia JeansWear: Se você tivesse uma frase pra ser um símbolo da resistência e aceitação da mulher gorda que gosta de moda, qual seria?

Flávia Durante: Moda é muito mais do que estar em dia com as tendências das passarelas. Moda é identidade, pertencimento e nos traz dignidade. A moda é uma forma de expressão que fala sobre quem somos, o que pretendemos ser e como queremos ser percebidos. E nós, mulheres gordas, temos todo o direito de tomarmos esse assunto como nosso.

Fonte: Kessy Christine | Fotos:  Divulgação/Globo / Marcos Bacon / Robson Leandro da Silva/ Ana Shiokawa