Moda viaja até ao espaço em 2020

A Lyst revelou alguns dos fatores culturais que podem influenciar o mundo da moda em 2020. Para a Primavera-Verão, além do espaço descer à Terra com os tecidos holográficos, a política pode afetar os consumidores, assim como a cultura de um país.

Para a plataforma global de moda, 2020 não é só o ano relativo ao prazo da campanha Detox da Greenpeace, que visa eliminar produtos químicos nocivos das cadeias produtivas de vestuário. Temas como a política global e a exploração espacial também vão marcar o próximo ano nas passarelas. No relatório “Year in Fashion 2019”, ela identificou cinco tendências culturais que prometem influenciar o mundo da moda no próximo ano.

Política e espaço

Há várias décadas que 2020 se tornou uma fonte de inspiração para os autores de histórias de ficção científica. Deste modo, não é surpresa para ninguém que a moda seja influenciada por esta perspetiva futurista que remete para a ciência aeroespacial. Exemplo disso são os tecidos holográficos e o vestuário de exterior que se assemelha aos fatos espaciais.

Segundo a Lyst, esta tendência vai descolar na primavera-verão 2020 quando o sistema de lançamento reutilizável da empresa SpaceX, que estuda sistemas aeroespaciais, e as novas naves tripuladas começarem a ser testados.

Se o Brexit e os últimos três anos de guerras comercias foram períodos turbulentos para a moda, as eleições presidências dos EUA no próximo ano vão afetar ainda mais o sector.

A Lyst considera que um ano político de turbulência cria tensões culturais que influenciam as mentalidades dos consumidores de todo o mundo. E mesmo que não seja possível prever as problemáticas em causa, espera-se que as mensagens políticas façam parte das temáticas principais das passerelles, visto que os designers muitas vezes retratam críticas a tópicos da atualidade, como a igualdade ou as mudanças climáticas, nos desfiles ou nas coleções.

“Com as próximas eleições nos EUA, prevemos ainda mais declarações sobre moda na política, nas marcas e nos retalhistas em 2020”, refere a Lyst.

Cultura

A notoriedade dos Jogos Olímpicos desde sempre que cativou turistas para a cidade que recebe o evento, mas o que Sóchi, Vancouver e Atenas não conseguiram invocar, Tóquio foi capaz de compensar. Está previsto que 600 mil espectadores provenientes de outros países visitem a capital do Japão durante as Olimpíadas e Paraolimpíadas do verão 2020, o que se pode traduzir em influências diretas do estilo único das subculturas da cidade.

“Com todos os olhos postos no Japão, prepare-se para se inspirar no estilo ousado das ruas de Harajuku e das marcas japonesas”, aponta a Lyst ao citar a Sacai, Undercover, Visvim e Neighbourhood como alguns dos nomes mais desejados.

O fato de que as pesquisas por marcas japonesas na plataforma terem aumentado 8% em 2019 vem suportar a previsão da Lyst.

Tendências e afirmação

A famosa bolsa Le Chiquito, com aproximadamente 11 centímetros, da Jacquemus deixou de ser um meme de moda e tornou-se um artigo ambicionado por todos. Contudo, a Lyst prevê que o cenário mude, uma vez que a época em que o tamanho das bolsas reduziu 40% está a chegar ao fim. As bolsas grandes regressam no próximo ano, juntamente com a tendência de couro macio de marcas como Little Liner e The Row, que se tornarão exemplos a seguir.

Em 2019, designers como Pyer Moss e Molly Goddard deixaram de ser o centro das atenções e algumas marcas tradicionais como Bottega Veneta renasceram. Em 2020, outros nomes estarão prontos para emergir como sugere a análise de pesquisas de crescimento rápido da Lyst nos últimos seis meses. Marcas muito femininas como a Rotate Birger Christensen da Copenhaga com o vestido de festa e a Cecilie Bahnsen com os vestidos baby doll vão ter um ano promissor.

À semelhança de 2019, o streetwear está para ficar, visto que, para 2020, as marcas com elementos desta categoria vão fazer parte das tendências. A marca italiana GCDS, a minimalista Alyx e Marine Serre são alguns dos exemplos que seguem esta linha mais urbana. A designer Marine Serre já conta com a aprovação da cantora Beyoncé que vestiu o top “crescent moon”, as leggings e as botas do conjunto para um jogo de basquetebol da NBA.

Fonte: Portugal Têxtil | Fotos: Reprodução