MUNICH FABRIC START: Um universo de tendências e composições multifuncionais

E quando se pensava que toda forma de denim com elastano já havia sido inventada, eis que a mais recente edição da influente Munich Fabric Start evidencia que ainda existe todo um universo multifuncional pronto para ser explorado. O mesmo pode ser dito dos tópicos sustentabilidade, e das demanda urgentes por novos materiais. Bioplástico, variedades leves de denim, novas composições e tingimentos diferenciados marcaram a edição. Somado a isso, o evento também expôs a relevância dos certificados ligados à saúde como um valor agregado em alta para o setor. Entre os dias 29 e 31 de janeiro, mais de 1.000 fabricantes de materiais e tecidos ligados ao universo denim e sportswear exibiram as tendências correspondentes ao Verão 2020. E das mensagens mais significativas sinalizadas pelo evento, ficou o testimonial de como a indústria da moda está reagindo com uma abordagem positiva e motivada frente ao contexto atual.

Entre as tendências previstas pelas mais de 1.800 coleções apresentadas; destaque para a confirmação da baggy oitentista e dos estilos confortáveis nas modelagens do denim. Também para a ênfase dos patches, as jogadinhas multicoloridas agregando ritmo aos combos. O evento sinalizou ainda com destaque, as superfícies com efeitos altamente elaborados, as tonalidades pastel, e os mais diversos tons de branco. Tachas, inserção de diferentes materiais em uma mesma peça, estampas multicoloridas e listras em diferentes larguras e harmonias de cores também se mostraram fortes. E seguindo todos os anseios por um retorno ao lifestyle mais natural e afetivo, muitos fabricantes sublinharam também efeitos artesanais como o tie dye e o look splatter, explorando principalmente uma ampla variedade de tons azuis.

O tema eco-friendly continua sendo o mais relevante do momento. A maioria das empresas se mostrou comprometida com as novas tecnologias e processos que reduzem os impactos no meio-ambiente. Entre elas, a Candiani Denim, que apresentou uma ampla variedade de looks do street ao sport, para divulgar a linha de tecidos Relast, diferenciada pelo fio elastano premium desenvolvido pela Roica em cooperação com a fabricante Asahi Kasei. Também foram sugeridas diversas interpretações para a linha KN-Cotton, uma gama de tecidos tingida com os químicos Earth Colors da Archroma, que usa corantes provenientes de fibras de algodão recicladas; e tingimento com tecnologia N-Denim, que emprega o nitrogênio para acelerar a penetração da cor.

Invista, proprietária da marca Lycra, anunciou o lançamento do Lycra Freef!t, a nova fibra de elastano que proporciona compressão menor para o corpo, indo de encontro aos interesses dos consumidores, que estão buscando cada vez mais qualidades que proporcionem liberdade e conforto. Em acréscimo, a companhia anunciou que a fibra Lycra 166L conquistou o certificado Gold Level na categoria saúde, válido por dois anos. Entre outros indicativos, o certificado atesta que a fibra não contém nenhum elemento cancerígeno, tampouco emprega elementos químicos categorizados como zona vermelha de risco. Esta mesma fibra, está presente na nova variedade de elastano anteriormente citada.

A parceria recente entre Vicunha, Adriano Goldshmied, e o software Myr também foi destaque. Mensalmente, o guru do denim enviará para o mostruário da fabricante, seis estilos desenvolvidos com o uso da plataforma digital, atestando a eficiência da ferramenta no planejamento visual das peças idealizadas para o material. Também a empresa especializada em acabamentos e lavanderia Fimatex, uniu-se à Myr, apresentando uma série de acabamentos e tratamentos inovadores planejados com uso dos recursos diferenciados do software.

A área Keyhouse, focada em soluções inovadoras mostrou-se igualmente focada em projetos eco-friendly. Com o objetivo de mostrar que a moda pode ser bela e sustentável, quando os especialistas que envolvem o setor se unem e se importam com a questão; o espaço enfatizou a mostra de uma coleção cápsula assinada pelo designer Juan Carlos Gordillo. Intitulada Planet Rehab, a exposição de estilos usou materiais das companhias Tencel, TencelXRefibra, Lyocell, e Tejidos Royo. Os tecidos foram tingidos com o já mencionado Recycrom: a tecnologia eco-friendly da Officina+39 que extrai corantes de fibras de algodão. E os resultados, foram beneficiados com os acabamentos de baixo impacto ambiental da italiana Tonello.

Nesse mesmo pavilhão, uma série especial de fibras e materiais em fase de teste foram apresentadas. Entre elas um material especial obtido pelo crescimento de raízes de plantas para criar um multiextrato, ideal para interpretar texturas e volumes únicos. Também a fabricante Tanja Maria Nistche, apresentou bioplásticos criados por base vegetal, que aceitam ser cortadas a laser e misturados a outros materiais como papel reciclado, e fibras diversas.

Na lista de materiais interessantes, destaque também para a Tintex, que apresentou tecidos sustentáveis misturando 80% de algodão orgânico e Seacell, uma fibra obtida a partir de algas marinhas. Outro material feito a partir de algodão orgânico foi o CottonX, cuja construção é dotada de ions de cobre inofensivos ao corpo, mas que oferecem propriedades antibacterianas. Também o V55 da Roica, um elastano cuja fibra é biodegradável. A feira também colocou em evidência, alguns modelos elásticos de jersey que dispensaram uso de elastano, e exploraram apenas as propriedades mecânicas da própria fibra do algodão.

Mas o grande destaque colocado para o setor denim pela feira foi o denim Rain Shield, da Soorty. Com o diferencial do peso extremamente leve, o material é concebido a partir de fibras recicladas, e dotado de qualidades repelentes, graças a uma inteligente alquimia criada pelo nylon e tencel. Além do acabamento com secagem rápida, repelência à água, isolamento térmico, e estabilidade da forma; o tecido se diferenciou pelo visual elegante. Ostentando toque macio e brilho discreto.

Fonte: Vivian David | Fotos: Reprodução