O papel das fibras inovadoras na evolução das tendências do mercado denim

No mundo da moda estamos acostumados a associar tendências à leitura de um visual. Mas quem diria, hoje vivemos tempos em que muitas mudanças desejadas pelo consumidor de moda, são invisíveis a olho nu. Toque, conforto, durabilidade, repelência à sujeira, transpiração. É isto que o consumidor, especialmente aquele que é mais maduro, espera de suas roupas. São as tais qualidades intrínsecas dos tecidos, que estão agregando valor, na maioria das vezes, aos itens mais atemporais das estações. Tudo isso porque o espírito do nosso tempo está fazendo um chamado ao closet funcional, capaz de somar mais qualidade de vida para quem está vestindo. E claro, sustentabilidade, paira no mais alto topo desta lista.

Diante dessa nova geração de tecidos híbridos que prometem afetar a estética das próximas coleções, e do mercado do vestuário como um todo; o denim está em uma posição pra lá de privilegiada. Por estar mais presente no look das pessoas, praticamente diariamente, impactou-se mais e evoluiu mais nessa direção. As misturas de composição com o algodão representam um campo fértil para inovações em fibras feitas pelo homem. E na intenção de vislumbrar as próximas evoluções que estes materiais vão tomar em nosso setor, elencamos abaixo as principais demandas do consumidor que estão motivando tais avanços.

CONFORTO

O estilo de vida dos consumidores pede por muito mais do que uma roupa que simplesmente vista e agregue estilo. E os fabricantes vêm competindo para desenvolver fibras que proporcionam esta qualidade de forma cada vez mais rebuscada. Um dos materiais em evidência que atende a este chamado é a fibra Outlast®. Nem tão quente, nem tão frio. Que consumidor não gostaria de ter tal conveniência no jeans. A tecnologia desenvolvida pela NASA é o diferencial desta fibra, que foi criada para proteger os astronautas das flutuações térmicas. O controle proativo da temperatura é sua característica: a fibra absorve o excesso de calor da pele quando a mesma está aquecida, e promove sua liberação quando necessário. Desde 2017, a japonesa Kojima Genes já a incorporou ao estilo da five pockets.

Deste chamado, descendem todas as variedades recentes que priorizam o toque e a leveza do denim misturado ao tencel e lyocel. Entre elas o Rain Shield, da Soorty, que mistura nylon e tencel, além de fibras recicladas munidas de qualidades repelentes. Também inovações como a linha Sensil® da Nilit, como a fibra Sensil® Breeze, que controla a temperatura do corpo promovendo maior frescor, e desempenho em durabilidade. Da mesma linha provém o Sensil® Premium Nylon 6.6, com características semelhantes que está sendo adotado pela Vicunha.

LIFESTYLE ATIVO

Liberdade de movimento é uma qualidade com a qual o consumidor já está acostumado desde o boom do estilo de vida atlético. Ele atualmente representa um preço a ser pago pelos criadores de jeans, e consequentemente, pelos fabricantes de tecidos também. Os fios Lycra Freef!t, X Fit e T-100 são exemplos que surgiram dessa demanda. Enquanto o Lycra Freef!t apresentado recentemente proporciona compressão menor para o corpo; o X Fit que já permeia a composição de uma ampla variedade de tecidos, estica no urdume e na trama conferindo um power de 360º. Aumentando essa lista, temos o fio de elastano V-55 da Roica, que é biodegradável, e a variedade premium ROICA que promove longevidade maior às peças e é mais sustentável. Este último, presente no tecido ReLast da fabricante Candiani Denim.

Além da capacidade de esticar e retornar, o estilo de vida ativo pede por tecidos leves com maior capacidade de transpiração e de fácil manutenção. Um dos materiais que tem vai de encontro à esta demanda é a fibra de polipropileno CoolVisions. Secagem rápida, peso leve e capacidade de tingimento são algumas das suas credenciais que se alinham à tendência Athleisure. E diferente das fibras de polipropileno anteriormente desenvolvidas, esta funciona bem em composições híbridas e não apenas no processo de tingimento do fio. Mas uma das características que mais tem favorecido sua adoção é o fato de que seu modo de fabricação está entre os que dispensam gás-carbônico na atmosfera, comparado às demais fibras sintéticas. Um exemplo da sua aplicação consta na coleção que mistura denim e jersey da HerMin.

QUALIDADE DE VIDA

A alta das macrotendências de moda que valorizam qualidade de vida tem colocado nas passarelas a maturidade como um tópico direcional. E é desta geração mais velha, que descende a demanda por certificações que atestem materiais livres de composições tóxicas, e tecnologias que promovam o bem-estar. Entre os exemplos mais recentes, temos o fio Lycra 166L, que ganhou visibilidade com o certificado de isenção de produtos tóxicos ou perigosos ao corpo. Aqui entra também o fio Emana® já popularizado no denim e usado em roupas de atletas profissionais, por auxiliar a regulação do calor, combater a fadiga e promover uma melhoria na circulação sanguínea.

DURABILIDADE

Essa é uma direção que vai de encontro às tendências utilitárias, e complementa o conceito de sustentabilidade, já que considera uma roupa e um tecido desenvolvidos para durar ao máximo. O look dos skatistas, o jeans do segmento infantil, e o workwear feminino são alguns campos de aplicação que o movem. Respondendo a esse contexto, em 2010, a Cordura da Invista, foi a primeira marca de fibras a lançar o denim com conceito de performance e longevidade. Os materiais, que representam essa macrotrend, estão presentes em diversos tecidos da fabricante Artistic Milliners, e estilos ligados ao montanhismo, motociclismo, e visual utilitário de marcas globais. Atualmente o material também consta em diversos artigos da fabricante Cone Denim os quais combinam a durabilidade e resistência à abrasão do Cordura®, com o desempenho do elastano Cone S-Gene, cujo núcleo de torção do fio apresenta dupla resistência evitando a formação de volume nos joelhos. As melhores variedades de denim que representam este tópico são aquelas que não confessam suas qualidades pelo visual, mas sim pelo toque, e cumprem seu papel de maneira subjetiva, através do uso contínuo. Carhartt, Dovetail, Levi Strauss & Co e Marmot são algumas marcas que estão adotando tecidos que atendem este perfil, levando a durabilidade a um patamar mais elevado.

SUSTENTABILIDADE

Os consumidores que valorizam sustentabilidade são intensamente movidos por inovações eco-friendly. Eles querem conforto e fit, mas querem saber como os materiais e as roupas foram feitos. Em 2017 a Lenzing lançou a marca Tencel x Refibra, concebida a partir da polpa do algodão descartado coletada de resíduos industriais. A Refibra é completamente rastreável e já atende os moldes de economia circular. O conceito está ganhando adesão rapidamente. De acordo com Tricia Carey, diretora global de negócios da Lenzing. Segundo a diretora, em 18 meses a companhia estará apta a fornecer o material para varejistas como Country Road, DL1961, Inditex para Zara, Reformation e Marc O’Polo entre outros.

Fonte: Vivian David | Fotos: Reprodução