O que é um jeans five-pockets e qual a nomenclatura correta da sua construção

Estudar moda é assim: adentramos os cursos com muita sede de conhecimento e inspiração. E quanto mergulhamos no conteúdo, um dos grandes desafios que se impõe, de maneira muito subliminar, é o vocabulário técnico. Recortes tem nomes que indicam estilo: princesa, biker, etc. Detalhes tem suas corretas descrições: pence, prega palito, prega macho, transpasse. Subitamente, referir-se à uma saia como tal, não representa absolutamente nada. A não ser, que você especifique se ela é evasé, e refira-se corretamente ao seu tipo de bolso e fechamento. E claro, não para por aí. É preciso especificar o comprimento: mini, midi, longo.

Com o jeans não é diferente. Todos que entram nos cursos, supõem que já dominam os elementos que o integram. Até que chega aquele momento de descrevê-lo em formato profissional. Então os termos conhecidos parecem supérfluos e insuficientes. Que grande deslize, ninguém nunca pensou em apresentar um jeans como se deve. Então essa publicação vai parecer muito elementar para os experts do segmento, como de fato é.

Mas para os iniciantes será de grande valia. O que é mesmo uma five-pockets? Quais os elementos que a compõem? O que é um passante? O que é um travete? Qual a diferença entre um pesponto e um cerzido? Como se chama aquele bordadinho de marca que preenche o bolso traseiro?

Nós estamos aqui para apresentá-los à você, que é realmente iniciante no universo jeanswear. Claro, com um modesto tempero de história da moda, para tornar a lição mais interessante para o leitor. E alguns conselhos pertinentes, para quem está ingressando no universo da criação no segmento.

Five Pockets
É o modo como se chama o jeans que tem cinco bolsos: dois frontais em formato de arco, um pequeno chamado bolso-relógio (que veremos mais adiante), e dois traseiros. É também o design mais simbólico e atemporal do jeans – pois define seu desenho inicial, quando foi criado para ser uniforme de trabalho dos mineradores. Quando uma criação de jeans atual seguir este formato, é importante mencionar desta forma na ficha técnica. Lembrando que nem todo visual de bolso é verdadeiro – especifique se são construções fingidas (apenas simuladas por recortes) ou funcionais (com fundo, forro e espelho).

Cós
O cós é aquele recorte do jeans que parece um cinto, e marca a altura da cintura de uma calça. Seu menor formato é de quatro centímetros. Mas dependendo da modelagem pode ter mais largura: seis, oito e até doze centímetros; para abrigar fechamento por mais de um botão. Quando você, estudante de moda for trabalhar no meio, conheça as máquinas da confecção, pois a maioria dos modelos de cós é fechado diretamente nelas então você só precisa indicar se é um cós de máquina de quatro, seis ou oito centímetros. Se a sua criação fugir dos tamanhos fechados automaticamente, você precisa especificar que trata-se de um formato fechado fora das máquinas de cós, de modo artesanal.

Passantes
São aquelas tiras de tecidos costuradas no cós pra segurar a calça com cinto, ou suspensório. Assim como o cós, elas também podem ser fechadas diretamente numa máquina. Então quando você, designer iniciar suas coleções, não esqueça de conhecer as máquinas que fazem parte do acervo da sua marca, e assim passar as fichas técnicas indicando a largura dos passantes e especificando se os mesmos vão conter pesponto duplo ou simples.

Rebite
O rebite tem tanta história quanto a própria calça jeans – sem ele talvez o mesmo não tivesse tanta fama de durão. Trata-se daquele aviamento de metal que reforça alguns pontos da calça, como bordas de bolsos. Jacob Davis, um alfaiate lituano que comprava as calças de Levi Strauss, repassou um ponto a ser melhorado no jeans – o reforço nas laterais dos bolsos que estavam descosturando com frequência. Em 20 de maio de 1973, os dois patentearam a solução – o rebite. Nasceu então, a primeira calça com rebite de cobre dando início a calça mais fabricada da história da moda: o nosso estimado jeans. O rebite acabou pouco a pouco, sendo revezada com os travetes (que veremos a seguir), em alguns pontos, para evitar que o “descolado” hábito de se encostar nos carros, “riscasse” a pintura dos veículos.

Travete
É uma costura de ziguezague muito fechada, usada para reforçar algumas partes do jeans, como a fixação dos passantes e as laterais dos bolsos traseiros. Nem todo tecido suporta uma costura tão forte e concentrada – só mesmo o mais durão dos tecidos: o denim. Desfazer uma costura de travete é uma missão quase impossível – na maioria das vezes só arrancando o detalhe. Então planeje bem suas criações e as localizações desse detalhe.

Bolso americano
O bolso americano é aquele bolso da calça jeans posicionado na vista frontal, com formato de arco. Na maioria das vezes, acompanha um bolso menor em um dos lados, chamado de bolso relógio. Ele pode ser verdadeiro e funcional, com forro; ou fingido – sem fundo com mera função decorativa. É um design valioso – literalmente: surgiu com a proposta de guardar pepitas de ouro.

Bolso relógio ou porta-níquel
O jeans foi criado para ser usado como uniforme de trabalho na mineração. Então imagine os mineradores, em cavernas, trabalhando sem ver a luz do sol. Era preciso levar sempre um relógio para se ter a real noção do tempo. Então, essa é a função deste pequeno bolsinho. Hoje usamos para guardar moedas, pen-drives…Todo trabalho tem suas minúcias, do que concluímos que esse pequeno bolso, jamais deixará de ser prático e funcional.

Bolso tradicional
No jeans ele define o formato mais comum de bolso traseiro, representado pela mistura do formato retangular com o triangular. Assim como os bolsos americanos, também servia para guardar as pepitas de ouro encontradas. Então ele guardava objetos pequenos, mas ricos e pesados. Motivo pelo qual é profundo e conta sempre com reforços nas costuras laterais.

Filigrana
O filigrana é aquele bordadinho curvo que preenche o bolso traseiro do jeans. Obviamente não se intitula por filigrana qualquer desenho de bordado: apenas os que tem a linguagem do segmento. As marcas mais icônicas, identificam seus jeans por usarem sempre o mesmo filigrana, como uma espécie de identidade do jeans. Pense no bolso da Levis, por exemplo: o desenho do arco é sempre o mesmo.

Pesponto
São as costuras retas com desenho tracejados que ficam aparentes do jeans. Elas podem ser normais ou duplas – paralelas tornando a peça mais resistente.

Cerzido
O cerzido é aquela costura com visual artesanal que visa a função decorativa e não a de reforço. Pode ser rabiscada, irregular, em ziguezague. Existe uma infinidade de possibilidades.

Fonte: Vivian David | Fotos: Reprodução