Parceria inteligente entre GB e Pizarro apresenta sua primeira coleção com sucesso

Olha só que boa notícia para o mundo azul das lavanderias especializadas no jeanswear. O Grupo GB, com sede em Colatina (ES) e showroom no Brás (SP) e a Pizarro, de Portugal – duas grandes empresas do segmento, se uniram, desde o ano passado, para desenvolver novas linhas de customização. E não pensem em produtos que demoram para chegar aos clientes. São processos otimizados, com os mesmos custos de outros beneficiamentos e com agilidade de entrega. Para tanto, a GB reformulou sua fábrica com novos maquinários, mudou o layout, aumentou a capacidade do laser para 4mil watts de potência: tudo isso para conseguir produzir a melhor coleção de todos os tempos e oferecer qualidade, rapidez e informação de moda.

“Conseguimos trabalhar inúmeros processos com um mesmo tecido que pode ter uma infinidade de visuais diferentes. Uma das vantagens é a otimização da indústria, no corte, costura, velocidade de produção e mix de produtos”, afirmou Marco Britto, presidente do Grupo GB.

“Trabalhamos com técnicas que já existem, porém de formas e misturas diferentes, de acordo com a solicitação de cada cliente”, comentou Vasco Pizarro, diretor comercial da Pizarro Lavanderia, empresa que trabalha atualmente com mais de duas mil marcas, entre elas o grupo Inditex, detentora da Zara.

Há ainda a flexibilidade de se trabalhar qualquer processo, em qualquer tecido – do claro ao escuro – conforme a tendência da temporada, tudo adaptado a cada cliente. Essa parceria envolve todos os níveis da empresa, seja produtivo, layout, processos, tecnologias, comercial, marketing, para que a GB possa, a curto prazo, ser a melhor empresa do Brasil.

“Inovação é uma das caracteristicas da GB que tem uma equipe muito boa, com bastante knowhow, mas que pode crescer ainda mais e, por isso, surgiu a ideia de realizar essa parceria”, disse Vasco.
A equipe da GB visitou 4 países europeus, tiraram mais de duas mil fotos no exterior, levaram peças para análise e depois de uma pesquisa intensa e imersão na Pizarro Lavanderia, conseguiram desenvolver mais de 300 peças diferentes.

Outra novidade destacada por Vasco é a inserção de imagens, dentro do ponto de venda, de como são feitas as lavagens para conseguir fazer chegar essa informação ao consumidor. “Dentro do ponto de venda pode-se ter um tablet para apresentar como as lavagens são realizadas. Nós temos cada vez mais a noção de que as marcas são uma fonte importante de informação. Nós que estamos no processo produtivo, dependemos muito disso. É muito mais fácil para um consumidor comprar algo sobre o qual está informado, ou seja, a nível de sustentabilidade, de diferentes processos, tudo isso, é muito mais fácil de se comunicar com o cliente no ponto de venda. É uma troca de informações”, disse Vasco.

Em relação às tendências, o vintage continua muito forte, com puídos, cerzidos, respingos, além do used agressivo com abrasões. Outra referência é o maximalismo, tudo o que é mais intenso, no raw ou estampados também. Mistura de tecidos, joelhos marcados e patches prometem fazer sucesso por muito tempo.

As barras vêm bem trabalhadas com recortes. Os lasers são importantes, com silks, bordados e, bases de cores diferentes. Já os blacks surgem lisos ou com texturas.

Conheça as cinco linhas desenvolvidas pela GB e Pizarro:

Mineradores: o autêntico chama atenção em peças inspiradas nos trabalhadores das minas, com bigodes em 3D, patchworks, remendos, overday. O vintage vem na sua essência em tons mais sujos, no castanho, desgastados. Visuais morfológicos são produzidos de maneira mais eficiente, onde é possível utilizar qualquer tecido e modelagens diferentes.

Extreme: aqui entram efeitos como desgastes naturais, brilho e contrastes, peças bem customizadas, com inspiração no hard vintage. Fundos preservados, puídos com tramas brancas, pontos de luz bem leves e em degradée, com visual que não dá para perceber onde começa e onde termina o efeito. O trabalho de barras também surge forte nessa e em outras linhas da temporada. Tom branco Portinari como se fossem pinturas artísticas, alvejamento com ozônio que enaltece o contraste entre azul e branco, além de toque suave com maciez.

Tecnoart: aqui o laser é a estrela, onde pode ser usado de diferentes formas, com desenhos elaborados e modernos, algumas vezes marcantes e impactantes, representando a alta tecnologia em lavanderia a favor da arte, ou ainda sutil e suave, quando preciso. Podem ser realizados efeitos de reserva com cerzidos, escritas, tattoos, desenhos, simulação de variados tecidos como se fossem uma colcha de retalhos.

Powered Pizarro: linha vintage 360 graus, maximalista, com efeitos tanto na parte da frente quanto na traseira em peças todas trabalhadas com efeitos a laser, bigodes, amassados, 3D. É uma síntese entre o passado (vintage) e o presente (moderno), buscando o equilíbrio entre o autêntico e agressivo e o impacto visual extravagente e clean. Os patchworks são inovadores e com personalidade, em artigos com toque e brilho. Os bigodes são naturais e mais parecem marcações de uso.

London Gold: inspiração que vem dos grandes centros urbanos como Londres, São Paulo e Nova Iorque. Aqui entram os tons mais escuros e resinados, beneficiamentos used, sobretingimentos no blue e black, trabalho com enzimas, overday com tingimentos que ganham pigmentos diferentes e trabalhos artesanais. A principal característica dessa linha é o tom escuro, do bruto ao black.

FONTE: Vanessa de Castro | Fotos: Equipe Guia JeansWear