Posando de difí­cil!

Acompanhando a onda vintage dos beneficiamentos até mesmo a braguilha- elemento fetiche da calça jeans – resolveu mudar de estratégia e voltar-se para o passado, adotando um comportamento das antigas.


Poucas foram as marcas que investiram em um corte mais moderno – como foi o caso da Dept, que inseriu uma espécie de segunda braguilha em forma de transpasse camuflada na limpeza de informações do white denim. Outro exemplo foi o da marca Humor, que adotou formato curvo na braguilha, com a finalidade de revelar parcialmente, com muita sutileza, o fechamento por botões em substituição ao prático fecho de metal.


Ligeiras extravagâncias também foram observadas nas peças da Timezone, que enfeitou suas braguilhas com pequenas etiquetas de metal.


Bem mais reservadas do que nas temporadas anteriores, as braguilhas que ousaram fugir do desenho convencional em sua maioria restringiram-se a discretos recortes, ou contidos transpasses com abotoamentos recatados.


Esta, por sinal, foi a proposta mais recorrente nas coleções: a troca de fechos de metal por abotoamentos visí­vel nas araras da Firetrap, Kon Mon, Superdry e Orta Anadolu. E não houve economia na quantidade de botões, o que na prática implica que vestir tais peças pressupõe um longo e cerimonioso ritual: é a calça jeans bancando a difí­cil!


A marca Nolita vai ainda mais longe nesta proposta, e com convicção ainda maior substitui o fecho de metal amarração com tira de camurça trançada na braguilha. Aqui o ritual é bem mais romântico e feminino.


Bancando a difí­cil na hora de revelar seus segredinhos, a braguilha mantém o interesse e principalmente – mantém-se interessante! Confira as fotos.

VIVIAN DAVID | FOTOS: EQUIPE GUIA JEANSWEAR