Projeto em Minas Gerais ajuda mulheres a superar situação vulnerável

Conquistar autonomia financeira e vencer as dificuldades é o objetivo de dezenas de mulheres em Minas Gerais, que estão tendo seu talento aflorado no projeto Conexões Musas. A iniciativa promovida pelo Instituto Empodera oferece uma imersão no universo da costura em Poços de Caldas, onde as participantes produzem trabalhos com crochê e bolsas artesanais, além de aprendem sobre culinária.

O projeto já acontece há um ano e também oferece um curso sobre técnicas de costura, promovido pela Secretaria de Promoção Social da cidade. O Conexões Musas conta também com a parceria do Instituto Arvorecer, que disponibilizará máquinas de costura para as participantes, e da fábrica de jeans Jamer.

A escolha sobre aquilo que será produzido é tomada em comum acordo entre todas as participantes. A rotina do projeto se mantém na frequência em que se encontram nas máquinas de costura do Instituto Arvorecer, seguindo uma atendimento a demanda de produtos.

“A autonomia econômica transforma porque a mulher passa a poder escolher o que ela vai comprar, não precisa ser doação. Ela pode abandonar o marido no caso de violência doméstica. Um dos principais processos de transformação é a autonomia econômica, porque gera escolha”, destacou Raquel Barros, psicóloga e coordenadora do projeto, durante entrevista ao portal G1.

Além de dar novas possibilidades as mulheres beneficiadas, o projeto desenvolve a autoestima e valoriza o talento de cada uma delas. “Se alguém perguntar, vocês não são simples costureiras. Vocês trabalham com moda, se orgulhem disso. Vocês conseguem transformar um pedaço de pano em uma roupa que uma pessoa vai usar, vai ficar bonita, vai receber elogios, e ainda vão receber por isso”, destacou Juliana Medina, coordenadora de produto da fábrica de jeans.

“Se vocês conseguem transformar o tecido em roupa, vocês consegue também fazer mudanças nas próprias vidas”, finalizou.

Vale destacar que o Conexão Musas já acontece em cidades como São Paulo, São José dos Campos e Campinas, onde atua de maneiras diferentes.

Fonte: Redação | Foto: Camilla Resende/G1