Projeto Social “Periferia Inventando Moda” lança escola de moda gratuita em parceria com Eca e Abepem

Uma novidade cheia de conteúdo e propósito de mudança chega até Paraisópolis para atender os jovens que desejam entender um pouco mais sobre a área de comunicação e negócios da moda. No dia 13 de março, o projeto social Periferia Inventando Moda (PIM) juntamente com Escola de Comunicações e Artes (ECA-USP) e a Associação Brasileira de Estudos e Pesquisas em Moda (Abepem) lançaram a UniPIM, uma escola de moda gratuita e de excelência para jovens da comunidade. O propósito da essência do projeto acadêmico é mudar a realidade periférica com a democratização da educação por meio de estudos do campo da moda, permitindo que reflexões e produção do conhecimento sejam possíveis entre os estudantes de cada curso.

A curadoria acadêmica da UniPIM está sob o comando da professora Dra. Clotilde Perez, chefe do Departamento de Publicidade e Relações Publicas da ECA-USP. Segundo a professora, a parceria permite que a Escola de Comunicações e Artes possa articular ensino e pesquisa com atividades de extensão. “Desta parceria, que agora se inicia com oficinas temáticas, poderão surgir desdobramentos em pesquisas e formações em vários níveis, beneficiando a todos”, explica Clotilde Perez.

Professores do mercado e da academia ministrarão cursos profissionalizantes com objetivo de capacitar alunos que desejam compreender o processo da dinâmica de algumas profissões da indústria da moda e que desejam seguir carreira em uma das áreas propostas dentro da comunicação, criação e do negócio da moda. Estarão disponíveis inicialmente para os interessados, de forma gratuita, cursos de Marketing e Branding, Gestão de Conteúdo para Mídias Sociais Digitais e Fotografia de Moda.

Com diferentes modalidades de ações educacionais (cursos, workshops, oficinas, palestras etc.), a escola tem como objetivo alcançar mais de dois mil jovens já no primeiro ano que iniciará já em março com duas ações diferenciadas: “Oficinas Start” e o ciclo de encontros “Pensando Moda”. As oficinas de imersão Start acontecem no período de 8 horas em um único encontro e tem como foco o saber prático/reflexivo, possibilitando aos alunos a inserção no mercado de trabalho, uma vez trará conteúdo programático voltado à dinâmica de atuação das diferentes áreas ligadas à moda.

Já o ciclo Pensando Moda, consiste em palestras e talks com importantes nomes ligados a área, convidando aos alunos à reflexão e troca de experiências e conhecimentos.

A professora Dra. Kathia Castilho, presidente da Associação Brasileira de Estudos e Pesquisas em Moda (Abepem) atuará como coordenadora educacional da UniPIM. “Este projeto significa ter a oportunidade de articular novos conteúdos, repensar propostas para uma atuação mais participativa, inclusiva e criativa na educação. A UniPIM nos permitirá repensar o modo e lugar onde acontecem processos de troca, de iniciativas e experimentações inovadoras entre a rede que aqui certamente se formará. Conhecimento compartilhado e possibilidades de inovação é o que acreditamos que a UniPIM trará”, enfatiza Kathia Castilho, que também é proprietária da Editora Estação das Letras e Cores..

Desde que iniciou suas atividades em abril de 2014, o PIM enxerga a periferia como um laboratório de tendências. Fundado pelo estilista Alex Santos e pelo psicólogo e produtor cultural Nil Mariano, o projeto já atendeu mais de 400 jovens em seus cursos de formação para modelo, fotógrafo e maquiador. Com a UniPIM vamos promover o pensamento e a cultura de moda através de discursos construídos na periferia. “A UniPIM é uma iniciativa que pretende suprir a demanda de uma importante região da periferia de São Paulo por cultura, informação e formação nas áreas relacionadas ao universo simbólico da moda. Para tanto, o PIM oferecerá formação gratuita e de qualidade, favorecendo o enriquecimento cultural, o autoconhecimento e a inserção no mercado de trabalho”, explica Nil Mariano.

Moda plural, corpos reais, beleza aquém de estereótipos e protagonismo periférico, este é o resultado do trabalho do projeto que ganhará força com a UniPIM. “Nós acreditamos no poder transformador da moda, em como ela implica na reflexão do sujeito sobre o seu lugar no mundo, em como ele quer se expressar através de sua aparência e estilo, o que fortalece sua autoestima e promove o empoderamento de jovens que se sentiam excluídos e passam a ser vistos como modelos de resistência”, explicou o estilista e fundador do projeto, Alex Santos.

O Projeto está aberto para apoios e patrocínio.

Fonte: Redação | Fotos: José Barbosa Fotografias