Review das direções de mercado apresentadas para o Verão 2020

O evento que aconteceu entre os dias 24 e 25 de outubro, contou com a presença de um público com grande expectativa de mudanças para as próximas edições. Provavelmente, contando a partir de 2020. Foi desta forma que ocorreu a mais recente edição da feira Kingpins Amsterdam.

Os estandes ocupados, contabilizaram no primeiro dia do evento 90% das pessoas registradas ao longo da edição anterior, realizada no mês de abril. Outro fator que aumentou foi o número de expositores, passando de 600 companhias para 670, de acordo com informações previamente anunciadas.

Estes resultados tão positivos refutaram os rumores de que a Kingpins Amsterdam possivelmente reduziria o número de expositores para 100 marcas a partir de 2019.  Essa transformação drástica teria como critério de escolha selecionar marcas diferenciadas pelas práticas sustentáveis. Os rumores foram negados por Andrew Olah, fundador e proprietário da empresa, através da declaração “Nossas edições da Kingpins do ano de 2019 continuarão acontecendo dentro do conceito atual, envolvendo o mesmo número de expositores”, complementada com, “Do final de 2019 até o ano de 2020, nós lançaremos um projeto diferente que poderá abordar sustentabilidade em conferências e debates”. Isso sinalizou que a ideia ainda se encontra em fase de estudo.

Outra mudança deverá envolver a edição do Denim Days Nova Iorque já para 2019. O evento, que geralmente acontece em setembro, deve ser antecipado para junho, logo após a Kingpins. “Será a primeira vez que estes dois eventos vão acontecer sequencialmente, um após o outro, da mesma forma que realizamos em Amsterdam”, explica.

Quanto ao que vai estar em alta para o Verão 2020, a feira sinalizou uma forte aposta no denim colorido. Tecelagens como Calik, endossaram tal direção com mostruários de tecidos em tons luminosos de amarelo e rosa pink. Candiani e Kilimdenim, por sua vez, compuseram mixes com variações de marrom, mostarda, e esverdeados diversos. Da mesma forma a Orta apresentou cartela semelhante, alterada pela suavidade das variações pastel. Laranja, rosa e amarelo foram as cores escolhidas pela Bossa, buscando confirmar as cores como uma tendência consenso, através de peças trabalhadas em recortes de tom-sobre-tom criando harmonias luminosas.

Ainda falando de tendências, a Kingpins apontou para o retorno do look vintage e autêntico. Em um sentido oposto ao fast-fashion, os fabricantes olham para trás e apostam no look autêntico desenvolvido com qualidade superior. Mas foi a sustentabilidade, o eco mais iminente da atmosfera do evento como um todo.

A fabricante Tecidos Royo, desenvolveu uma novidade eco-friendly, o PDF. Concebido a partir de fibras recicláveis, próprias para o tingimento, devido à superfície regular. A Candiani Denim, lançou o Relast, tecido ecológico desenvolvido com a Japonesa especialista em fibras Asai Kasei, que usa na composição excedentes de fibra de elastano da manufatura.

Abrangendo a ampla oferta de denim premium em diferentes níveis de performance, o Relast se desdobra nas opções Comfort, Stretch, e Super Stretch oferecendo retorno de 18%, 40% e 50% nas suas propriedades, respectivamente. E a Espanhola Jeanologia, trouxe à tona a ideia da descontaminação e do tratamento de água como uma meta possível.

Variedades funcionais, versões de denim diferenciadas pelo elastano superior, e tecnologias de ponta agregando qualidades intrínsecas ao tecido sintetizam as principais direções.

Para quem deseja saber sobre o visual, as formas, volumes e lavagens tendência desta feira, antecipamos que o material estará disponível – devidamente selecionado e decodificado – exclusivamente para os nossos assinantes. Até mais!

Fonte: Vivian David | Fotos: Equipe JeansWear