Robôs e companhia na Texprocess

A indústria 4.0 dominou a Texprocess, que se encheu de novidades e inovações, algumas das quais mereceram prêmios, como a tecnologia Fashion On Demand, da Lectra. Alguns dos pontos fortes da feira incluem soluções virtuais de fitting, um novo scanner corporal 3D e a costura assistida por robôs.

Durante os quatro dias, foram muitas as demonstrações, incluindo de novas ferramentas que permitem que os dados sejam facilmente transmitidos do design e desenvolvimento. As inovações também chegaram na cadeia de aprovisionamento, buscando ajudar os produtores de vestuário a reduzir os custos, melhorar a qualidade, aumentar a produtividade, a rapidez a chegar ao mercado, diminuir os resíduos e manterem-se competitivos, como as propostas da Gerber Technology.

Amostras virtuais

A Shima Seiki exibiu duas linhas de produto, com aplicações para a produção de malhas de trama para têxteis técnicos na subsidiária Shima Seiki Itália e soluções de corte com a Tajima.

O grande destaque, contudo, esteve na série SDS-One Apex, um sistema de design 3D para amostras virtuais em ultra alta resolução que ajuda a tornar mais eficiente o processo de tomada de decisão ao minimizar o tempo necessário, o custo e o material normalmente associados à produção de amostras físicas. Quando a amostra está aprovada, os mesmos dados podem ser usados para programar as máquinas para a tricotagem imediata, reduzindo mais uma vez o tempo de produção.

Scan corporal 3D

A Avalution, a empresa mais recente do Human Solutions Group – ao qual pertence também a Assyst, que venceu um dos prémios de inovação com uma solução digital –, apresentou os resultados do seu estudo de medição na América do Norte e revelou o novo scanner corporal AVAone pela primeira vez.

O scanner, baseado em estereoscopia, tira as medidas com 12 sensores, criando a imagem de um corpo em apenas alguns segundos, a partir da qual podem ser feitas 50 medições. O scanner, afirma a Avalution, precisa do mesmo espaço que um provador.

Avalution

“Criamos um cenário de loja do futuro para mostrar como as tecnologias podem ajudar os clientes a encontrar o produto certo muito mais rápido”, afirma Michael Stöh, diretor-geral da Avalution. “O nosso scanner corporal 3D cria uma imagem digital realista do consumidor em segundos… a imagem digital pode depois ser usada para determinação do tamanho, para a produção de vestuário feito à medida ou para adaptar vestuário existente”, acrescenta.

A empresa também lançou os primeiros resultados do estudo de tamanho na América do Norte, considerado um dos mais representativos feitos com scanners corporais 3D. Entre as conclusões está que o crescimento em altura está a abrandar, enquanto a circunferência do corpo está a aumentar. Registam-se ainda diferenças significativas entre as populações rurais e urbanas e entre populações de diferentes origens étnicas.

CAD com melhorias

A fornecedora de software de design 3D e prototipagem EFI Optitex lançou a mais recente versão da plataforma CAD 2D/3D Efi Optitex. As melhorias no software incluem uma nova solução Print&Cut que permite marcar todos os moldes do vestuário num único rolo, permitindo poupanças no inventário de tecido e uma eficiência 15% a 40% superior em comparação com os métodos tradicionais, indica a empresa. Um algoritmo de organização aperfeiçoado possibilita ainda melhorar a utilização do tecido em até 4%.

“Para responder ao rápido ritmo da moda e do comportamento de compra dos consumidores, implementar fluxos de trabalho digitais do início ao fim já não é uma coisa simpática para se ter – é sobrevivência”, sublinha Amir Lehr, diretor-geral da EFI Optitex. “Toda a preparação do design à produção pode ser automatizada, permitindo aos clientes focarem-se na criatividade, para acelerar a execução e permitir a customização necessária no mercado exigente de hoje”, acrescenta.

Possibilita igualmente imagens para catálogos de produtos e reuniões de análise de design, minimizando a necessidade de amostras físicas e sessões fotográficas dispendiosas.

Costura industrial facilitada

O Dürkopp Adler Group mostrou numa das microfábricas que fizeram parte desta edição da Texprocess o seu sistema QONDAC. A solução de rede “plug-and-play” pode ligar até 1.500 máquinas de costura numa rede e monitorizar os dados de todas as máquinas em tempo real, ao mesmo tempo que analisa a produtividade e o estado de cada máquina. Permite ainda acesso para manutenção remota e envia mensagens de alarme automáticas aos técnicos ou gerentes quando surge algum problema.

Durkopp Adler

O Dürkopp Adler Group revelou também duas novas aplicações robóticas desenvolvidas pelas marcas Pfaff Industrial e KLS. Usando robótica e tecnologia de controlo, as duas aplicações dirigem-se aos sectores do vestuário e automóvel. Especificamente, a aplicação para vestuário pretende automatizar o processo de inserção e remoção para costura, reduzindo a intervenção do operador ao mínimo.

Acabamentos perfeitos

O Veit Group apresentou a sua máquina de acabamento de camisas SF 36 com “melhorias significativas”, que afirma fornecer uma maior qualidade ao acabamento do produto e uma operação simplificada para o cliente.

Além disso, a empresa equipou as suas máquinas de entretelas BX para camisas e vestuário exterior com um sistema de alimentação separado e um painel de operação a cores de sete polegadas. Estas mudanças, acredita a Veit, tornam a BX “completamente pronta para a indústria 4.0” e ajudam a melhorar a ergonomia e a eficiência energética.

A empresa também desvendou a nova prensa a vapor para mangas BRI 860 VC, uma nova solução para acabamentos de elevada qualidade para a costura do cotovelo que aumenta a flexibilidade ao dar forma aos têxteis.

Fonte: Portugal Têxtil | Fotos: Reprodução