Seek e Bright dão voz às tendências do streetwear

Moda casual de sobrevivência e universo do skate. Dois tópicos alternativos, irreverentes e ligados à estilos de vida únicos. É para estes dois caminhos, que as feiras Seek e Bright, que aconteceram entre os dias 3 e 5 de julho, respectivamente, estão evoluindo. Seek manteve seus expositores clássicos e marcas de moda retrô esportiva. No mix denim, agrupou nomes como PRPS, Nudie, Mud Jeans, Kings of Indigo e Edwin. Bright, adotou um formato muito próximo ao de uma exibição da cultura do skate: com direito à casas temáticas e exposições de revistas ligadas ao tópico. Como consenso ambas registraram um retrato vibrante do espírito do nosso tempo e deram voz às ruas e ao que elas vestem em seu sentido mais livre. Em especial, referenciaram as tendências mais frescas, com espírito aventureiro e jovem, identificadas a seguir.

Faixas laterais por todo lado: com ou sem listras, logos ou cores contrastantes; as faixas laterais estavam em todo o lugar desde os moletons até o jeans visto de perfil.

Acolhimento: veludo, flanela, e pelúcia foram assíduos nas coleções – até mesmo nos recortes com estilo sporty dos agasalhos de neoprene. Exemplos constaram em marcas como Amor Lux, American Vintage, e Ellesse.

Orgulho pelas cores: as combinações vibrantes de amarelo e azul foram as jogadas de tons mais trabalhadas nos estilos. E aí entrou muito o jeans lavado, em tons médios e macios, fazendo par ideal com a luminosidade do amarelo. Wrangler, Dc Shoes investiram forte nessa cartela.

Tons pastéis: cores esmaecidas estarão onipresentes nas coleções, sublinhando a ideia de conforto e aconchego dos tecidos pelo seu discurso de maciez.

Unicórnios em evidência: as estampas vão falar sobre os seres mágicos e existências improváveis: como lindas aparições. Unicórnios, pombos usando óculos de sol e tucanos em cores psicodélicas figurando entre coqueiros, são alguns exemplos.

Acessório trendy: as pochetes estão de volta, mais esportivas e coloridas do que nunca. E não ouse pensar que o acessório não será absorvido pelo streetwear – afinal elas já estão circulando entre os fashionistas.

Fonte: Vivian David | Fotos: Fredericke Winkler