Streetwear de Paris propõe a lógica do démodé look

É oficial: a expressão effortless chic (termo criado para definir o look criado sem esforço); tornou-se completamente ultrapassada na moda de rua global. Em seu lugar emerge um novo conceito que bem poderia ser definido pela expressão démodé look: fundamentado no desafio de integração de estilos até então considerados ultrapassados, ou mesmo impróprios para transitar no cenário urbano. O streetwear de Paris endossa a nova lógica; ao celebrar o garimpo seletivo e o exercício do tino para moda, apostando no aproveitamento de peças antes reservadas para ocasiões completamente distintas; como ponto de partida para criação de um estilo fino e original.



As esquinas da cidade luz, enfatizam acima de tudo “esbarrões” do jeans batido com achados oitentistas de brechó, encontrões de saias desfiadas com o toque gracioso dos tules, e verdadeiros “encontr_ões encantados” entre o vestido estilo madrinha de casamento com a boyfriend rasgadinha e trivial. Veludo molhado, saias escocês, sobreposições do sleepwear com a camiseta podrinha e toda sorte de exageros que lembrem um visual de festa foragido de uma ocasião especial; de acordo com Paris, representam as novas aparências direcionais do momento. Tanto luxo e tanto experimentalismo estético, passam a influenciar a criação de novas peças no segmento: saias com jeitão de passarela criadas a partir de retalhos de índigo, e redefinições da parte superior do look através de volumes conceituais confeccionadas em denim com acabamento frayed irregular refletem essa evolução.



As produções esportivas também abandonam a lógica do look imediato e repetível; elevando as coordenações com t-shirts casuais através da imponência de longos sobretudos e sapatos de salto informais. O jeans que acompanha toda esta mudança é menos apegado à silhueta; e quando se apresenta justo – ousa mais na linguagem ripped e na intensidade dos rasgos; aproveitando a exposição da pele como parte fundamental do look. Em visual similar temos a personagem da roqueira bem-sucedida, que associa alfaiataria estruturada ao jeans neutro com a camiseta de banda.



Mas se nas calçadas mais fashionistas do planeta a moda de rua atual exige complexidade maior na criação das combinações; nas coleções que estão por vir o elemento surpresa deve ser oferecido diretamente no mix. Mangas bufantes, vestidos de festa usados uma única vez e roupas que já foram o último grito representam excelentes pontos de partida para as coleções mais femininas e enfeitadas; enquanto peças-chave ligadas ao universo unissex e ao discurso de empoderamento feminino, podem ser encaradas como excelentes argumentos para agregar valor ao look esportivo e básico.

VIVIAN DAVID | FOTOS: Phil Oh / diego zuko