Sustentabilidade é o novo normal da moda em feiras de Berlim

Sustentabilidade é o novo normal da moda. Este foi o pensamento que reverberou em todos os eventos paralelos que transcorreram durante a semana de moda de Berlim, em especial Panorama e Premium. As duas feiras de negócios mais influentes para o segmento jeanswear, onde esse discurso se desenhou com propriedade maior.

A Premium, apresentou uma vasta seleção de marcas focadas no uso de materiais e abordagens alternativas para produção, passíveis de impactar cada vez menos o meio ambiente, além de sediar diversas palestras, encontros promissores e festas. Já a Panorama, compartilhou suas experiências sustentáveis através de diversas coleções desenvolvidas com fibras recicladas, reaproveitamento de descartes industriais, upcycle e pequenas inovações ecológicas postas em prática nos processos produtivos.

Logo no primeiro dia a Premium organizou o evento Sustainable Future Think Tank, envolvendo vários insiders e players do setor em uma discussão sobre como mudanças reais de mentalidade podem de fato acontecer para provocar as rupturas necessárias para uma moda mais sustentável. Entre os palestrantes estavam Javier Goyeneche, da Ecoalf, Jordan Nodarse, da Boyish Jeans, e Patrick Andrist, da Omnibrad Group. A maioria dos tópicos abordou as políticas de certificações e mudanças nas formas de consumo.

Entre as inovações apresentadas, a Armedangels apresentou o Detox Denim. O projeto, já lançado na temporada anterior, inclui o jeans produzido com algodão orgânico certificado, ausência de cloro e de metais pesados na nos banhos dos aviamentos.

A marca também ofereceu uma variedade de jeans leve em tonalidades terrosas desenvolvidas com denim da Candiani tingido com um pigmento natural obtido através de sobras e descartes de plantas de algodão. Também ganhou visibilidade com o modelo de jeans desenvolvido com Denim da Isko mesclando algodão orgânico e poliéster reciclado com elasticidade superior a 2%.

Liu Jo apresentou sua segunda seleção de denim sustentável, intitulada Liu Jo Better Denim. A coleção, desenvolvida com tecidos Candiani, agrupou 21 estilos em diferentes fits e acabamentos usando o processo eco-friendly chitosan, criado pela tecelagem, que usa um polímero rico em vitaminas encontrado nas cascas de lagostas e The Indigo Juice – método de acabamento que cria aspecto envelhecido no denim através de uma redução drástica no uso de água e químicos.

Para além das direções sustentáveis, na feira Premium o denim também desenhou os rumos estéticos que pretende tomar na temporada de Verão 2020 (equivalente a Verão 2021 brasileiro). Joop! Jeans apostou na suavidade do denim amaciado e no look autêntico.

Os anos 70 inspiraram florais e tratamentos sulfurosos na Gang. Cartelas pastel definiram o visual das propostas da Haikure’s Jeans, enquanto a PRPS foi contra a maré e explorou a irregularidade dos acabamentos ácidos. O complemento ideal para esse mix foi dado pelas jaquetas altamente decorativas.

Já na Panorama, a marca alemã Barta Jeans beneficiou todo o mercado compartilhando seus insights eco-friendly adquiridos com o desenvolvimento de roupas sustentáveis em denim para outras marcas.

A companhia tem boa reputação por conseguir equilibrar moda e sustentabilidade com uma forte pegada trendy mantendo o baixo impacto nos tingimentos e lavagens. As roupas da companhia, refletiram com nitidez as tendências do mercado: jaquetas longas, jeans colorido e shorts cut off com bolsos em destaque integraram a coleção.

Ainda na Panorama, como parte do plano da coleção da Knowledge Cotton Apparel, o denim desenvolvido com sustentabilidade foi a lógica que caracterizou os produtos apresentados pela companhia desde o fio ao acabamento.

O tecido da variedade selvedge foi desenvolvido com 98% de algodão orgânico certificado e 2% de fio Lycra, tingido com um processo natural de indigo que usa 66% menos de água do que os processos tradicionais e 70% menos de químicos. Na fase da roupa confeccionada, a companhia usou a tecnologia de lavagem por vácuo comprimido que emprega o mínimo de água e a conveniência do uso de 40% de energia sustentável no processo.

Como de praxe outros eventos paralelos influentes para o design de moda jeanswear ocorreram Bright, Seek, explorando conceitos mais vanguardistas e relacionados à moda de rua. Também neles, sustentabilidade guiou coleções e materiais usados pelas marcas de acessórios, motivando imagens carismáticas em estampas e tags.

Mais do que isso, foi um eco iminente nas coleções direcionais apresentadas, tanto no modo produtivo, devidamente comunicado com clareza ao comprador (e essa é uma exigência), quanto nos vestígios estéticos explorados no design, como barras desfiadas, mix de tecidos, visual upcycle e tingimentos com jeitão urbano mencionando a terra e o planeta como base para toda sorte de inspiração.

Fonte: Vivian David | Fotos: Divulgação