Triton se reformula para conquistar público jovem

Quem nasceu nos anos 70 certamente já vestiu um jeans Triton, ou ficou babando pela moda criativa dos jeans atemporais e tecnológicos. A marca foi criada em 1975, e atualmente faz parte do grupo AMC Têxtil (que também é detentor de grifes como Coca-Cola Jeans, Colcci, Sommer, Forum, Tufi Duek), passou por transformações – inclusive de logos – durante todo esse período, mas a maior delas acontece agora. “Como uma página totalmente em branco, começamos uma nova história, criando impacto e novos desejos. Trouxemos tudo novo e bem direcionado”, afirma a equipe Triton.

Acontece que o público que atendiam amadureceu e não consome mais a marca, enquanto do outro lado os jovens não chegaram a conhece-la. “Fizemos um rebranding da marca com a curadoria do Giovanni Frasson, ele colaborou com os temas da coleção, estampas, pesquisas e direcionamento da marca, resgatando a essência Triton. Nosso desafio é se renovar e se conectar com o jovem, a geração Z, de 18 a 24 anos que está sempre em busca de novidades e preza por uma comunicação verdadeira”, comenta André Jório, diretor da Triton.

O diretor também afirma, “Estamos buscando a essência urbana da marca que é a cara de São Paulo, por isso identificamos isso no logo. Para apresentar todas essas mudanças, a empresa reuniu parceiros, fornecedores e distribuidores com um desfile, palestras sobre o universo da moda e uma festa com a reinauguração da Concept Store da Oscar Freire que vai se transformar em um hub de negócios com várias ações e, conta com uma arquitetura totalmente diferenciada dos ícones da marca em suas paredes.

Com o tema Brave, a nova coleção vem inspirada na irreverência e atitude forte, coragem, ousadia e originalidade da Triton e traz peças inspiradas no movimento punk, college, rocker, princess e urbano. São três linhas distintas divididas em: 75′ – com peças originais, básicas e esportivas, para quem busca o conforto fitness, com o estilo sportswear. Urban -peças casuais com jeitão street, e estampas diferenciadas. E, Studio – peças com matérias-primas mais sofisticadas, com detalhes de aviamentação bordada para os eventos noturnos.

O jeanswear e a malharia são os principais produtos da marca – que ainda traz a alfaiataria, veludo, brilhos e moletom. Os modelos ganham volumes nos ombros, fit clochard, transpasses babados, amarrações e gola alta.

As referências passeiam pelos anos 80 com muito brilho, alfaiataria jovem em modelagens amplas, xadrezes coloridos e o retro sport com peças esportivas que ganham carinha vintage, para o masculino. A força feminina surge na renovação da sensualidade, e na inovação dos tecidos reciclados, além do aspecto used em jeans e sarjas.

Dentro do universo jeanswear, a marca aposta em peças tecnológicas como o Flash Denim onde uma imagem é revelada através da foto com flash tirada do celular – efeito conquistado através de uma resina aplicada em lavanderia. O I Flex é um denim com aspecto moletom e, bastante elastano e que invade diferentes peças. Já o Dry Denim, é um artigo impermeável que evita que o tecido fique molhado.

Um dos efeitos milagrosos da linha Perfect Shape é proporcionado por uma malha de compressão interna na altura da cintura que causa a impressão de “chapar a barriga”.

Entre as principais modelagens, o destaque vai para as skinnies e a mother denim. Ainda em lavanderia, surgem muitos rasgos, efeitos destroyers, black denim com resinas ou desbotes. Nas estampas, camuflado e xadrez continuam fazendo sucesso. Fits utilitários ganham força no verde musgo. Calças croppeds no raw garantem um visual renovado para os meninos, e as jaquetas truckers carregam bordados, silks metalizados e patchs. Nos shortinhos fit comfort e muitos rasgos, manchas e desfiados. O couro fake, efeitos matelassados, tricôs, vestidos justos e muitas estampas nas t-shirts, junto aos moletons complementam a coleção. Tons passeiam entre o preto, vermelho, branco, amarelo, marrom, cinzas, uva.

 

Fonte: Vanessa de Castro | Foto: Mariana Pekin