Vicunha resgata o passado para pensar o futuro no Inverno 19

Com o tema REfuture, a Vicunha Têxtil traz o mote: “REsgatar o que passou para REpensar o que virá. REver antigos conceitos para REcriar ideias” para seu Inverno 2019. A tecelagem une passado e futuro para criar o presente em cima dos pilares sustentabilidade, inovação e tecnologia. “Sustentabilidade e inovação estão em nosso DNA e são a fórmula para o sucesso das coleções. Com iniciativas e processos mais conscientes, tecnológicos e eficientes, a Vicunha chega aos 50 anos com olhar para os novos caminhos do jeanswear e foco na renovação”, afirmou Renata Guarnieri, gerente de marketing da empresa.

A Vicunha destaque quatro macrotendências para o Inverno 19.

Power Excess
Aqui as referências surgem dos anos 80 e do empoderamento feminino no modo de se vestir – o power dressing com visual que traz a alfaiataria masculina com o jeitão over daquela década. Há ainda um revival das grandes marcas, sejam elas de alta costura ou tradicionais do segmento, como a Fiorucci. Aqui entram ombros marcados, shapes geométricos, cores neon e muitos acessórios e aviamentos dourados. As modelagens carregam volumes exagerados, cintura alta e clochard e a combinação do blue jeans com o xadrez.

Os azuis são retrôs, em tons vivos com costuras contrastantes e inspiração na alfaiataria oversized. Há ainda opções de azuis mais claros e estonados e a mistura sofisticada do acid wash em produções mais clássicas. As sarjas seguem pelos terrosos, marinho e preto, sempre com toque macio. O animal print se faz presente juntamente com estampas clássicas como listras e pied-poule.

Mystique Wonder

Em oposição à velocidade de informações, as pessoas estão buscando novas formas de cura, estão interessadas em assuntos como o misticismo, a espiritualidade, cuidando da mente e do corpo. São as bruxinhas contemporâneas, super modernas e antenadas, mas com essa preocupação pelo bem estar físico e psicológico. O visual místico contemporâneo flerta com os anos 70 e com o estilo vitoriano, porém é mais luxuoso, rico em texturas e acabamentos high-tech. O romantismo se faz presente nos babados, drapeados.

Aqui surgem vestidos mídi e longos, cinturas marcadas, casacos alongados, calças retas e skinnies. Para o masculino os florais dark se misturam a superfícies trabalhadas em um mood grunge chic.
Entre os detalhes surgem bordados, aplicações e matelassados em formas orgânicas. Em lavanderia podem ser vistos patchwork de tons, estampas a laser, metalizados, azuis intensos. Os tecidos surgem com fibras naturais como o algodão, leves ou estruturados e reciclados. As sarjas colors transitam entre os roxos, lilazes, verdes intensos e marrons.

Re-Mastered

Aqui a roupa é usada como uma armadura moderna para “combater” todos os problemas sociais, políticos e ambientais de uma geração cada vez mais ativista. Este tema traz influências dos góticos, punks, fetichistas, é é claro, do militarismo futurista em peças híbridas, funcionais e com uma pegada workwear. O jeans precisa ser resistente com aspecto bruto, porém com o máximo conforto através do elastano ou toque sportswear no denim moletom. Os coatings com brilhos resinados e metalizados com o foil compõem as produções high-tech, mas o black é o protagonista e surge em peças mais sequinhas.

Há ainda espaço para os acinzentados, efeitos tie dye, texturas com patchs e as sarjas nos tons de vermelho, amarelo, marrom, verde militar, além do cinza e preto. Entre os detalhes surgem metais aparentes, desgastes, manchados, rasgos, recortes, efeito empoeirado, couro e borracha. Os maxicasacos e parkas fazem sucesso juntamente com calças repletas de bolsos, fivelas e amarrações.

Clash ID

O tema mais colorido da estação que transmite o conceito “tudo junto e misturado” da nova geração, onde não há mais regras, onde o lixo e o luxo, high e low, esporte e arte, ruas e alta moda convivem em harmonia. Onde a tecnologia e a velocidade de informações acompanham toda essa nova onda de ressignificados e o mix de referências.

As cores saturadas e o humor andam juntos numa pegada streetwear e um toque dos anos 90 mesclando materiais e aplicações. Os shapes amplos e a modelagem desajustada ganham pequenos detalhes que personalizam as peças. O denim surge em calças, jaquetas, agasalhos e com mistura de materiais. Com aspecto vintage ele vem mais estruturado, com lavagem dirty, delavê, sprays multicoloridos ou usado do avesso. As sarjas revelam camuflados, xadrezes e tons fortes no rosa, azul, laranja, amarelo roxo, além do verde e cinza em degradées ou tie dye.

Lançamentos

No denim destacam-se a linha de camisaria e os jeans de alta elasticidade e recuperação, além da preocupação com o meio ambiente na família Ecocycle, que ganha dois novos selos Less Water e Recycle, que trabalham técnicas que vão da economia de até 93% de água nos processos de tingimento e acabamento à menor utilização de matéria-prima virgem com o uso de fibras recicladas. Dentro dessa linha surgem três novos artigos com elastano: Cramer – Eco com 9,2 oz, 1,55 metros de largura no tingimento blue, Feeling – Eco, 9,7 oz, 1,46m e tingimento special dye e o Rooty – Eco, com 10 oz, 1,47m e tingimento double denim. Todos eles com 98% algodão e 2% elastano.

Dentro da linha em 100% algodão surgem novidades com a diagonal bem marcada, ideais para peças oversized e estruturadas como o Zat com 11,3 oz e o Izzy com 10,4 oz. Já na família Moove surgem larguras amplas e novas versões de tingimento. Destaque para o Blaine Stretch que traz 98% algodão e 2% elastano, peso de 9,7 oz e 1,62 metros de largura e o Newman em 69% algodão, 29% poliéster e 2% elastano, com peso de 11 oz e construção diferenciada Broken (sarja quebrada) que confere um ar rústico.

Na linha de camisaria o liocel confere toque suave, brilho e leveza ao Stanley Light com peso de 3,8 oz. Já o Colin Soft surge numa versão com stretch, peso de 5,2 oz. O Artur Drake é perfeito para marcações de costuras contrastantes e surge com peso de 5,3 oz. O Tod é um maquinetado com aspecto piquê que pode ser trabalhado em lavagens mais claras ou escuras. Já o Italy da família Soft, remete ao veludo cotelê e vem com peso de 7,5 oz.

A linha Perfect Fit que leva a tecnologia DualFX da Lycra garantindo alta recuperação da forma, caimento perfeito e máximo conforto, vem com três lançamentos: Megan com 9,3 oz no tom azul vivo, Megan Black Black com 8,8 oz, tingimento special black e o Megan Dark com power de até 35%. Todos com construção cetim.

Entre as sarjas novos artigos estampados entre xadrezes, florais, listrados, camuflados. Na linha Essential, o Hunter no 100% algodão, peso de 6,3oz traz a construção rip stop que traz superfície quadriculada oferecendo toque texturizado e o Plume, peso de 3,1 oz com construção em tela e caimento fluído, ideal para peças leves e fluidas como batas e blusas. Na família Moove Classics surgem o Herbie, com 6,4 oz e o Tarantino, com 7,2 oz um maquinetado com efeito piquê. Na linha Perfetc Fit, o Bariloche vem com 9,3 oz e trama mescla bem invernal e o Santa Fé, na família Moove Color, traz power de até 43%, toque suave por conta do liocel.

E, por fim os artigos Beatrice Power Soft (7,6 oz) e Barbara Power Soft (7,8 oz), cetins com altíssima elasticidade e excelente estabilidade dimensional agora surgem em versão soft, com toque super macio por conta do poliéster multifilamentado.

Fonte: Vanessa de Castro | Fotos: Equipe Guia JeansWear