Zara inaugura nova era no varejo

A nova loja da Zara em Londres é uma vitrine de novas tecnologias, com provadores digitais onde os consumidores conseguem ver como é que determinadas peças ficam na composição dos looks. Além disso, um ponto automatizado para retirada de pedidos feitos online foi implementado a fast fashion. O local, que conta com braços robotizados (robôs), entregará a compra feita online de forma rápida, por meio de uma plataforma dinâmica e assistentes com iPads ajudarão a escolher na internet e a retirar mais tarde. A loja foi projetada especialmente para realizar e coletar os pedidos feitos pela web.

O porta-voz da espanhola Inditex, dona da marca, Jesus Echevarria Hernandez, diz que “os clientes não fazem distinção entre encomendar online ou em uma loja”. “Temos que facilitar isso ao máximo”, sintetiza.

O espaço, que abriu recentemente na capital britânica, mostra como os varejistas estão cada vez mais unindo as lojas físicas com o canal online, tentando acompanhar gigantes tecnológicos como a Amazon. E a Inditex acredita que este é apenas um primeiro exemplo das tecnologias que irá implementar por todo o mundo.

As compras online têm sido um dos pontos mais positivos para a empresa, com um aumento de 41% das vendas de comércio eletrônico no último ano, em contraste com uma desaceleração das vendas em termos globais. A varejista espanhola conseguiu ultrapassar outras gigantes do setor, como por exemplo a H&M e a Marks & Spencer, mais lentas na aposta em operações online e que estão com dificuldades para acompanhar o processo.

A nova loja da Zara fica em um centro comercial de Stratford, Londres, ocupa uma área total de 4.500 metros quadrados e permite que os clientes façam suas compras sem falar com ninguém. As caixas de “self checkout” autorizam o pagamento via dispositivos móveis ou cartões de crédito, por meio de um sistema de terminal de cartão operado via Bluetooth. Após a identificação do recibo de compra online, feito por um sensor óptico, um robô do estoque, capaz de operar até 2.400 pedidos, faz a identificação do pacote e prepara para a retirada do cliente. Apesar de toda a tecnologia, os vendedores não foram aposentados, e a equipe continua presente para auxiliar nos novos procedimentos.

O formato proposto permite à Inditex aumentar a eficiência, após as margens do grupo terem apresentado o menor índice da última década.

Cada peça de roupa tem uma etiqueta com uma frequência de rádio. A tecnologia faz com que a Zara consiga fazer o inventário de uma loja em duas horas, um processo que normalmente dura cerca de três dias. A escolha da loja pioneira no teste do processo foi feita levando em conta o fato de no Reino Unido, as compras online já representarem 22% do total em termos de varejo não alimentício.

Fonte: Portugal Têxtil | Foto: Reprodução