Acabamentos em foco no jeans da Herchcovitch

Alexandre Herchcovitch já tem o aval da mídia, fica mais fácil então para ele transitar entre temas e modelagens, principalmente quando se trata de sua submarca, a Herchcovitch.


A etiqueta, dedicada ao público mais jovem, elegeu como inspiração os pueblos do Peru, além de explorar linhas retas dos anos 60. Tanto estamparia quanto shapes ganham grande influência das mantas dos indígenas da região. Alexandre explora também o uso da própria lã, que ganha versão abrasileirada nas cores vibrantes e modelos de vestidos curtos para as garotas.


Embora em menor escala desta vez, o jeans ainda tem forte presença na marca. Um dos destaques do tecido são os acabamentos, que se alternam em shine para as peças com aspecto raw, e vintage para as demais versões. No índigo, por exemplo, a grife explora costuras iluminadas pelo desbote. O black denim também estava presente, em versão acinzentada e acid washed. Mas, as peças não são feitas só de efeitos: fits e modelagens são impecabilíssimas, trazendo até novas propostas, que parecem ter surgido todas a partir de uma jaqueta.