Jeans sofisticado e descomplicado é sugestão de Isabel Marant

Conciliar uma silhueta extremamente feminina com a androgenia pode parecer inconcebível, mas foi esta a aposta de Isabel Marant em sua coleção Resort 2021 (equivalente ao nosso 2022) apresentada em formato digital em Paris. Inspirada na arte de Joan Miró e Alexander Calder, a designer propôs uma estética sofisticada. O que não implicou de forma alguma, em uma construção complicada.

Dos artistas mencionados, Isabel pegou emprestadas as linhas simples. Das cores, a magia dos tons intensos. Das formas flutuantes e livres de Miró, Marant trouxe as mangas circulares e bainhas de casacos contornados por vivos. Desta alquimia, surgiu um guarda-roupa renovado com vestígios de anos 80 e 90, e longevidade suficiente para atravessar mais de uma estação. Muitas peças tem apelo até mesmo para se tornar itens de estimação.

Mesmo não permeando todos os looks, o denim de Marant foi o ponto alto do desfile. Nas formas, o jeans da marca mencionou claramente a legging ao incluir o “pezinho” tão comum da moda fitness substituindo a bainha convencional. Na construção, o visual ajustado da calça ganhou versão mais esbelta graças à cintura alta e às construções de pence e pregas palito no cós e entrepernas. Tudo muito bem marcado pelas reservas de pigmento formadas pelo acabamento ácido.

Marant também apostou na saia midi reta, lembrando nos recortes com fendas frontais o formato sereia. O mix denim da marca, variou dos acabamentos ácidos azuis e acinzentados, ao look branquinho chique.

Volume sequinho na parte inferior do look e amplo na parte superior, assim se desenharam as criações da grife que sinalizou um caminho renovador para as próximas estações. Diferente dos designers que trabalharam a saudade das ruas por meio da inspiração streetwear, ou o tema do isolamento em formato romântico, Marant sugeriu a celebração da vitória por meio de uma moda vaidosa e sofisticada.

A simplicidade de Marant ficou por conta da facilidade das construções. O que mostra que a racionalização dos custos do produto final, não é uma barreira para as salas de desenvolvimento. Mas sim, um desafio que pode ser vencido facilmente com estratégia.

Fonte: Vivian David | Fotos: Reprodução