Grupo Bittencourt aponta mudanças no varejo pós-Covid-19

Quem você é hoje, funciona para quem você terá que ser? Esta foi a questão levantada no webinar do Grupo Bittencourt, sob comando da diretora executiva da empresa, Lyana Bittencourt.

Em tempos de pandemia o novo coronavírus, a retomada das atividades pós-quarentena tem sido uma grande preocupação no mercado. Já se sabe que o consumidor passou por mais uma transformação, mas ainda assim, não é possível prever todos os efeitos da crise sanitária e econômica no seu comportamento.

As primeiras sinalizações de retomada já começam a aparecer onde foi decretado o fim do isolamento, e alguns novos comportamentos já começam a se mostrar, como o Revenge Buying. A expressão em inglês aponta a possibilidade de um retorno massivo e repentino ao varejo por parte dos consumidores que estão obrigados a ficar em casa.

Neste cenário, a digitalização tem se mostrado o futuro do consumo. “Enquanto os consumidores fizerem compras por motivos que transcendam a razão, o varejo offline permanece relevante mas desempenhando um novo papel e isso ainda precisa ser muito explorado pelas empresas”, ressaltou Lyana Bittencourt.

À medida que os consumidores vão se tornando cada vez mais ligados à tecnologia, parte do contato físico no momento da compra serão migrados para o online. Contudo, as experiências no ponto de venda e o calor humano no atendimento presencial serão sempre valorizados – ainda mais quando de forma compulsória ele se priva desse contato. Se a dúvida antes era entre online ou físico, agora vai muito além.

Físico com entrega direta, online por voz, live commerce, streaming, marketplaces, redes sociais, apps e uma profusão de universos que habitam na nuvem e que traduzem desejos e necessidades de consumidores já quase que totalmente adaptados à realidade do universo digital. Esse novo comportamento que tem sido chamado e “novo normal” tende a perdurar no pós-Covid-19.

Isto porque os consumidores já estão habituados aos cliques que se traduzem em conveniência na porta de casa. À medida que começarem a voltar a circular nas ruas e no varejo físico, a expectativa é que busquem essa experiência fluída do online no offline.

E agora?

Com tantos movimentos importantes, como vamos se preparar? Existem três caminhos:

Revendo conceitos e formatos de negócios: Considerando as mudanças no consumidor, no ambiente dos negócios, na necessidade de criação e desenvolvimento de novos produtos, serviços e experiências;

Revendo Propósito: Que novo atributo será necessário acrescentar ou ampliar para dar mais segurança para a comunidade, para o cliente e para todos os stakeholders?;

Revendo a Cultura: Desenvolver novos comportamentos, condutas e práticas que serão adotadas na empresa, pelos sócios, lideres e liderados.

Fonte: Redação | Foto: Reprodução