Indústria têxtil brasileira já investiu US$ 315 milhões em maquinário em 2021

A recuperação pós-Covid parece cada vez mais próxima para a indústria de moda brasileira. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), o setor têxtil investiu 315,6 milhões de dólares em equipamentos só neste ano.

Durante o primeiro semestre de 2021, a indústria têxtil e de confecção cresceu 36,3% no primeiro semestre de 2021, na comparação com o mesmo período do ano passado. Com isto, o investimento em maquinário surge para ampliar a competitividade no cenário.

“Há algum tempo o mercado brasileiro vem se reinventando, no intuito de galgar boas posições internacionais no segmento de moda e, para isso, tecnologias em maquinários para processos que vão desde a abertura de tecido e testes de amostras a finalização das peças ganham cada vez mais espaço. Sentimos essa preocupação também em nossa rotina, com uma procura cada vez maior pelas nossas soluções em diversas regiões do país”, indica o diretor da Delta Máquinas Têxteis, Fábio Kreutzfeld.

“Temos muito a evoluir, mas acredito que os dados deste primeiro semestre deixam claro o quão disposto o mercado brasileiro está em se reinventar e reassumir uma posição global de liderança”, completou.

A Delta Máquinas Têxteis, fundada em 2007 na cidade catarinense Pomedore, é referência em tecnologia para otimização da produção industrial têxtil através do desenvolvimento de máquinas, equipamentos e softwares. São mais de 50 produtos em seu portfólio, aplicados aos processos de tecelagem plana, malharia circular, estamparia, acabamento e confecção. A Delta desenvolve ainda projetos de automação exclusivos, de acordo com a necessidade de seus clientes.

“Temos, por exemplo, máquinas que reduzem em mais de 80% o tempo de processo. O que faz toda a diferença para tornar investimentos e receita mais estratégicos”, detalhou o executivo.

Fonte: Redação | Foto: Reprodução