Minimalismo e lógica de e-commerce ditam aparência de tags e etiquetas

Comunicar o caimento de um fit, o prestígio de uma marca, ou mesmo deixar um recado

apressado rabiscando a visão de uma grife quanto ao estilo pessoal. Estas são algumas

das mensagens transmitidas pelos tags e etiquetas em evidência no

jeans da estação de Verão 2017. No que diz respeito aos tags, para

combinar com as lavagens frescas e clarinhas; as marcas Zara, Oto e Stradivarius vem

apostando na atemporalidade das letras limpas, dos espaços lisos e formatos

retangulares. Em síntese: nada além do essencial, seja no papel liso, seja no algodão cru

ou denim cortado a laser. A ideia de minimalismo é sublinhada ainda,

pela alternância entre letras contrastantes e tom ­sobre tom: artifício que moderniza os

caracteres, enquanto simula a presença de vazios em áreas que na verdade, estão

preenchidas.



Ao sair da mera comunicação escrita, a estação apresenta em alguns exemplares a

conveniência de uma foto do jeans vestido, estilo varejo de e-
commerce
, aproximando a experiência física da experiência de compra on­line.

Esta é uma lógica, que propõe o alinhamento entre as duas formas de varejo, apostando

no impulso provocado pela imagem ideal do fit vestido, como forma de conduzir o

consumidor para a etapa da prova. Trata-­se de uma visão de moda essencial, ligada à

ideia de conveniência e estilo.



Além da ideia de limpeza, e da oportuna introdução de um shape vestido em modelo; o

foco na simplicidade também destaca a ideia de hand­made. Assim os

tags mais alternativos e com jeitão de vanguarda maior, tornam-­se

mais lúdicos pela reprodução de cativantes desenhos manuais, ou letras riscadas com

jeitão de giz em quadro de aviso de botequim.



As etiquetas externas, por sua vez, optam pelo couro queimado,

camurça ou mesmo materiais com aspecto cru e liso. A lógica dos espaços vazios, e

formatos retangulares mais sequinhos prevalece como numerosa aparência; fortalecendo

o discurso inicial dos tags. Cores são permitidas, contanto que se diluam no visual lavado

da peça; e estampas não são proibidas, desde que formatadas a partir de padrões

invisíveis ou tom sobre tom. Mas nada, que impeça a presença cativa da etiqueta

amassada, com falas de discurso vintage e tinta vermelha seguindo o estilo icônico do

jeans ­ que trocando em miúdos, resume de forma mais completa o

sentido de moda essencial.

VIVIAN DAVID | FOTOS: EQUIPE GUIA JEANSWEAR