Fórmulas comerciais por Topshop Unique

Qualquer referência à marca TOP SHOP é sempre alvo de observações atentas, para garimpo de estratégias de design dotadas de alto apelo comercial. A coleção TOPSHOP UNIQUE Outono/Inverno 2013, apresentada durante a London Fashion Week, não fugiu à esta característica. Mais do que isto, ela assumiu tal função ao realizar uma parceiria com o Google+ disponibilizando o desfile “just in time” em larga escala.


Na coleção, a marca trouxe um repertório de moda bastante coordenável, e viável para produção em larga escala. Entre as “sacadas” predominantes, comprimentos inesperados renovando fisionomias funcionais, como o visual da camisaria, cuja construção foi transformada em oportuno vestido longo.


Entre os materiais mais trabalhados, destaque para o vinil, e as peles coloridas. A inclusão dos materiais, associados ao brilho, elevaram o valor de moda da coleção. A paleta de cores puxou para as cores quentes, e tons castanhos, coordenados aos amenos tons branco e azul claro.


O jeans não foi o tema da coleção, exceto pelas calças coloridas em tons saturados como o vermelho, ou branco. Mas a linguagem dos bottoms foi rica o suficiente para fornecer referências ao jeans. Alfaiataria bem marcada por vincos, volumes curvos e volumosos, que reinterpretaram a calça social em leituras luxuosas. O comprimento cropped, deixou elegantes tornozelos à mostra enfatizando saltos altos. As peles, acrescentaram um volume extra nos tops, que vieram curtos revelando um pouco da silhueta feminina através do abdômem aparente.


De uma rápida análise da coleção, um bom repertório de elementos para a criação, tais como: tops quentes e volumosos mais curtos, o vinil como elemento chave para renovar peças corriqueiras e clássicas, o brilho nas calças, alfaiataria volumosa nos bottons, croppeds, e peças triviais em interpretações longas e singulares.