Martine Rose exalta o valor das comunidades em sua coleção

Comunidades locais, o valor da educação e as memórias de pré-escola. Estas foram as inspirações de Martine Rose para criar sua coleção masculina, homenageando até mesmo momentos como “a hora da soneca”. O visual da periferia, o cabelo desarrumado, o lenço pendurado, tudo foi pretexto para criar um look fashion e confortável.

A fórmula para transformar todas estas referências em uma estética atual para a temporada de Inverno 2020 (equivalente a 2021 masculino), passou pelos anos 80, pelo futebol, e até pelas baladas e raves. Surpreendentemente, o resultado foi o alinhamento da coleção com a trajetória fashion que o paladar masculino está buscando.

Para representar a hora de dormir, Martine Rose criou combos total denim essenciais e de alfaiataria, listrados e relaxados. Já resgatando os anos 80, trouxe o fit baggy no desenho da calça cargo e na leitura estampada.

A menção às comunidades apareceu com aquele antigo casaco herdado de família, através de maxi comprimentos. E para agregar uma pegada “rave”, distribuiu toques de neon esparsos no mix de tecidos do parka, mesclou o jeans ao couro, e explorou de forma corajosa florais gravados a laser no denim. Nos acessórios, enfatizou a bolsa atravessada e o cinto de cowboy.

E se tem uma lição que o mercado de moda está aprendendo é que as comunidades, o passado, e a coletividade importam e muito para a moda. Junto com todo esse discurso, temos tendências importantes para o closet masculino: combos total pattern – com a mesma estampa da cabeça aos pés – em modelagens mais amplas.

Utilitarismo atestando um look pronto para qualquer situação, ressonando em todas as inspirações. E o guarda-roupa do homem atual, cada vez mais se tornando uma referência para o feminino, em termos de ousadia.

Fonte: Vivian David | Fotos: Reprodução