Party girls reformuladas no desfile de House of Holland

Debutantes pervertidas e gangs de prostitutas determinadas a evidenciar seu notório e ilimitado poder de consumo. Foi pensando nestes perfis tão singulares, que Henry Holland colocou em evidência na passarela do London Fashion Week, uma coleção de garotas corrompidas, com looks reformulados para o ambiente noite na coleção de inverno da marca House of Holland.


Holland converteu em estampas e trocadilhos, desenhos de parquê de pisos de salão, papéis de parede de damasco, taças de champagne e batons flutuantes. Da imagem feminina dos lábios pintados veio a inspiração para a cartela vermelha e pink dos paetês e peles que constaram em casacos, acessórios, e em versões libidinosas do distressed denim. As party girls da marca House of Holland vestiram ainda calças de moletom metalizadas com t-shirts e atitude teenager, em composições com casacos volumosos, e pouca ou nenhuma discrição.


A cartela de cores enfatizou também tons de azul e verde metalizado, e incluiu no mix de tecidos transparências vibrantes dialogando com o jeans esburacado e trabalhado. No quesito peças-chave, constaram ainda as saias tubulares, os tricôs com brilho, e o matelassê nos casacos enfeitados por patches, como uma aposta para as peças-chave térmicas, figurando como um visual importante logo após as pomposas incursões de peles em sobretudos e casacos invernais.