A sustentabilidade que liberta estilo comandou inovações da Première Vision

Moda circular pede por produtos atemporais. Porém, e a moda fashionista, que urge por um tecido e uma inspiração passageira?

Esta parece ter sido a mais nova reflexão dos fabricantes de tecido reunidos edição equivalente ao Inverno 2021 da gigante Premiere Vision. A sustentabilidade que liberta o estilo foi um grande tópico para a inovação das tramas da edição que aconteceu entre os dias 17 e 19 de setembro, levando diversas coleções a competirem com tempos recordes para desintegração de seus produtos no meio ambiente.

Foram 2.056 expositores, de 48 países distribuídos em cinco halls. Destes, 230 foram estreantes, e pelos menos 50 produtos foram classificados como inovadores do ponto de vista da sustentabilidade e expostos na área Smart Creation da feira, espaço permeado por mesas redondas e produtos estilosos com apelo eco-friendly.

De maneira excepcional, sustentabilidade tomou um caminho diversificado nos lançamentos. Iniciando pela coleção Proearth, da fabricante Schoeller, voltada para produtos destaque e categorias de moda mais fashionistas. Os tecidos foram feitos com poliéster virgem dotados de qualidades biodegradáveis otimizadas com relação ao habitual.

Para a temporada de inverno abordada na feira, a diversidade desse produto foi pensada para jaquetas, calças e linhas de materiais de qualidade em diversas cores. Seguindo lógica semelhante, o fornecedor de fibra de celulose sustentável Eastman Naia ampliou sua oferta de fibras e colaborações ao incluir a nova variedade de tecidos Naia 100%  biodegradáveis, além de novas misturas com fibras sustentáveis de celulose, lã, bambu e seda.

Entre os expositores de denim, em acréscimo à ampla gama de estampas e trabalhos evidentes na superfície dos tecidos, como envelhecimentos e rasgos; constaram alguns tratamentos inovadores bio-tecnológicos como os desenvolvidos pela M Blue incluindo os acabamentos Avocado e Lanolin os quais acentuam a qualidade maciez. Também o Stay Fresh, que agrega propriedades anti-odor aos tecidos.

Shinjentex apresentou uma lavagem com enzima especial que torna mais remota a necessidade de lavagem após o tratamento. Com igual apelo inovador, constou também uma variedade de denims oferecida pela Hemp Fortex que incluiu fibras como a de cânhamo, seda natural, e pelo de iaque – uma raça de boi de pelagens longas do planalto tibetano.

Com apelo inovador, constou também no evento o Supreme Green Cotton, uma variedade de algodão que cresce livre de modificações genética produzido pelos fabricantes Greek e produtor de algodão Varvaressos, cujas áreas de algodão são irrigadas pelo pioneiro sistema de irrigação via satélite usando tecnologia israelita inovadora que customiza a distribuição da água contribuindo para reduzir o uso em até 40%.

Já no setor dos tecidos nobres, Redaelli Velluti apresentou o Super Velvet, veludo em camada tripla a prova de água vencedor da edição deste ano da categoria desenvolvimento inovador pela feira Ispo. Também apresentou a seleção de materiais sustentáveis Primaloft, trabalhada com visual de pele de raposa, caracterizando-se pela beleza e maciez equivalente à original. Reda Flexo, apresentou uma nova lã de ovelha da raça merino mesclada com uma fibra de elastano eco-friendly que integra a família Roica Eco-Smart.

Fabricantes de couro e curtidores, grandes parceiros do setor denim, também apresentaram inovações. Entre elas a seleção Evolo, da especialista Sciarada: uma variedade de couros tingida pelo reuso de materiais brutos que não leva a adição de cromo. Além da companhia, Dani, Chiorino e Raynaud também incluíram versões eco-friendly do material.

Fonte: Vivian David | Fotos: Divulgação